quarta-feira, 20 de junho de 2018

Edson Fachin autoriza PF a investigar Helder Barbalho

PRE-CANDIDATO A GOVERNO DO ESTADO DO PARA
 LOGO LOGO NAS MÃOS DO JUIZ MORO.
O ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, autorizou o envio do inquérito 4.707, em que são citados o senador Jader Barbalho e o ex-ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, para a Polícia Federal, em Brasília.
Na decisão prolatada no dia 11 de junho, o ministro Fachin afirma a existência de indícios suficientes de condutas de congressistas federais que, em tese, amoldar-se-iam às figuras típicas previstas nos artigos 333, 317 e 327, todos do Código Penal Brasileiro, assim como o artigo 1º da Lei 9.613/1998.
O pedido, segundo a Procuradoria-Geral da República, é com base nas declarações prestadas pelo ex-dirigente da Petrobrás Transportes, José Sérgio de Oliveira Machado, e por Ricardo Saud, ex-executivo do grupo J&F.
Sérgio Machado afirma que teriam sido contemplados pela referida doação de R$ 40.000.000,00 (quarenta milhões de reais) os seguintes parlamentares: Renan Calheiros, Jader Barbalho, Romero Jucá, Eunício de Oliveira, Vital do Rego, Eduardo Braga, Edison Lobão, Valdir Raupp e Roberto Requião. O pedido teria sido feito pelo PT, para as eleições de 2014.
Em relação a Helder Barbalho, pré-candidato ao governo do Pará, o ministro destaca que ele não tem prerrogativa de foro por exercício de função, sendo necessário esclarecer que as condutas do ex-ministro estão ligadas diretamente com a do pai, o senador Jader Barbalho, que teria pedido o pagamento de vantagem indevida em favor de seu filho.
Por enquanto, o processo em relação a Helder Barbalho não será enviado à primeira instância. Segundo a Procuradoria-Geral da República, a investigação está ligada diretamente ao recebimento de vantagens solicitadas pelo senador Jader Barbalho.
O ministro Fachin diz que há indícios suficientes a permitir o envio dos autos à Polícia Federal sem prerrogativa de função de Helder Barbalho.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

MAIS UM URUARAENSE MORRE EM ACIDENTE

Depois de sofre um acidente de carro na noite de Domingo 10, no km 217 entre Uruará e Placas na Rodovia Transamazônica. José Roberto Ferreira da Costa (Zezinho), 39 anos, foi encaminhado para o Hospital municipal de Uruará onde foi atendido e passou por uma intervenção cirúrgica para corrigir o Basso que estourou e uma perfuração no intestino. Na segunda Feira dia 11 o quadro clinico do paciente era estável, onde por volta das 21 hora o quadro se agravou e o mesmo foi encaminhado para o hospital Regional de Altamira. Lutando pela vida por 9 dias, Zezinho foi vencido e veio a falecer na manhã dessa Segunda dia 18. Seu corpo sera encaminhado para Uruará onde será sepultado.
Nota do Blog
Tem uma situação acontecendo no município de Uruará que esta deixando a população aflita, pois ultimamento quase todos os pacientes que estão sendo encaminha para o Hospital Regional esta voltando em um caixão. Não se sabe se esta acontecendo negligencia, pois alguns paciente dão entrada no Hospital Municipal de Uruará em estado Grave e Hospital de Uruará espera o paciente entra em estado Gravíssimo para correr atrás do encaminhamento. Diante da situação que se encontra o Hospital de Uruará, sem UTI, sem médicos qualificado em alguns caso, sem estrutura para refugiar o paciente, ai para escapar com vida, so pela misericórdia de Deus.

sábado, 16 de junho de 2018

Trabalhadores que transportariam gado a pé por 930 Km são resgatados

Ação de fiscais do Ministério Público do Trabalho ocorreu 
nas cidades de Novo Repartimento, Brasil Novo e Uruará
Fiscais do Ministério Público do Trabalho resgataram no interior do Pará 30 trabalhadores em condições análogas à escravidão. Eles integravam três comitivas que faziam o transporte de gado de corte a pé pelas margens da BR-230 (Rodovia Transamazônica), nos municípios de Novo Repartimento, Brasil Novo e Uruará.
O grupo era responsáveis por transportar cerca de 3,5 mil bois pela beira da estrada. Nenhum dos 30 trabalhadores tinha a Carteira de Trabalho assinada. O pagamento seria realizado por meio de diárias com valores entre R$ 45 e R$ 60. De acordo com o Ministério do Trabalho, todos eles trabalhavam para o mesmo empregador, um fazendeiro da região.
As três comitivas haviam saído de Uruará com destino à Fazenda Porangaí, em Xinguara, a uma distância de aproximadamente 930 quilômetros. A previsão era percorrer a distância em até 120 dias, levando cerca de 3,5 mil bois. O grupo mais adiantado, encontrado em Novo Repartimento, estava viajando desde 4 de abril. Os outros dois haviam saído do ponto de partida em maio.
De acordo com o auditor-fiscal do Trabalho que coordenou a operação, Magno Riga, para pernoitar, os trabalhadores deveriam encontrar abrigos pelo caminho, como currais. Lá, armavam barracas de lona e redes ou deitavam sobre o chão batido, em espumas usadas nas montarias. A água consumida às vezes era fornecida em propriedades rurais por onde passavam, às vezes era captada em cursos naturais d´água encontradas pelo caminho, a mesma que era usada pelo gado. Segundo os fiscais, os trabalhadores não tinham acesso a banheiro.
"Calculamos que se o fazendeiro fosse levar esses mesmos bois de caminhão, gastaria aproximadamente R$ 1,5 milhão. Além disso, levando o rebanho a pé ele deixa de gastar entre R$ 30 e R$ 40 por mês para cada boi em pastagem, pois o animal vai pastando na beira da estrada", afirmou o auditor.
Uma liminar expedida nesta quinta-feira (14) pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, em Altamira, ordena que o fazendeiro apresente em juízo, em até 30 dias, os 30 trabalhadores encontrados em situação análoga à de escravo nas comitivas para que eles acessem o Seguro-Desemprego Especial para Resgatados.
Em caso de descumprimento, será aplicada uma multa de diária de R$ 5 mil para cada item descumprido, até a sua efetiva correção, limitada a R$ 1 milhão, a serem revertidas a instituições públicas ou entidades filantrópicas privadas sem fins lucrativos.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

PREFEITURA DE URUARÁ PODERÁ ESTA USANDO ÓLEO DO PDRS XINGU QUE É PARA RECUPERAÇÃO DE 4 TRAVESSÕES EM FUÇADEIRA NAS RUAS DE URUARÁ

Quatro travessões Km 195, 170, 140 e 165 Sul Foram contemplado pelo Projeto PDRS Xingu com 150 mil litro de combustível, dividido em 3 cotas. A licitação aconteceu no mês de Dezembro de 2017, onde a liberação aconteceu no dia 04 de Maio de 2018.
O projeto que é para a recuperação de 150 Km de estradas das vicinais do Município de Uruará sendo 40 Km da vicinal 170 Sul, 50 Km da vicinal 165 Sul, 24 Km da vicinal 140 Sul e 36 Km da Vicinal 195 Sul.

A vicinal do Km 170 Sul é utilizada pelo Transporte escolar e para o escoamento do produtos proveniente da pecuária e agricultura . Atualmente as vicinais encontram em péssimas condições de trafegabilidade, alem de comprometer a segurança dos alunos e usuários.
No Projeto aprovado e já liberado com 50 mil litros de combustível pelos PDRS Xingu na 1º Cota a prefeitura de Uruará terá que disponibilizar os maquinários, para cada Vicinal em recuperação.
02 Patrol( motoniveladora), 02 Carregadeiras; 01 Retroescavadeira; 03 caminhões Caçamba;
01 Camionete F400 e 01 Carro de Socorro.
Na primeira cota já liberada de 50 mil litro de Óleo, a empresa Lucilene Dotto Nocoloidi Uruará, ganhou a Licitação no valor de R$ 176.500,00, no contrato :IA-PS-012/2018.
A execução da obra e de responsabilidade de cada município, que apresentaram um engenheiro responsável pela obra. 
Segundo informações o Prefeito de Uruará vem pedindo uma prazo maior para a prestação de contas, onde a suspeitas que os 50 mil litros combustível, pode ta sendo usado para a porcaria que estão fazendo nas ruas de Uruará, onde estão fazendo uma fuçadeira, jogando um barro, causando mais poeiras nas ruas. Na verdade se continuar com um verão mais rigoroso, a população de Uruará vai começar a defecar tijolo, parece brincadeira!

ESCRITOR URUARAENSE, O TURRÃO, PARTICIPA DO ENCONTRO DE CORDELISTAS DA AMAZÔNIA

A Oitava edição do Encontro de Cordelistas da Amazônia aconteceu em Belém no sábado (9), com a Participação de cordelistas de toda a região Norte.
O escritor cordelista David de Jesus, o Turrão, representou o Município de Uruará e na ocasião foi diplomado ocupando uma cadeira na Academia Paraense de Literatura Cordel do Estado.
O Uruaraensse destacou a alegria de ter seu trabalho reconhecido e fazer parte de uma cadeira na academia de escritores Cordelistas Paraense. Turrão como é conhecido na região da Transamazônica teve seu trabalho reconhecido por uma livro escrito a mais de 10 anos, com o titulo " MARIA DO REGO FUNDO E O PRETO FORTUNATO" que foi destaque no encontro dos Cordelistas Paraense.
O encontro foi realizado ​neste sábado (9) ​na sala do auditório Dalcídio Jurandir, ​na​ 22ª edição da Feira Pan-Amazônica do Livro, no Hangar, em Belém.
Foram empossados acadêmicos dos municípios de Uruará, Igarapé Miri, Senador José Porfírio, Capanema e São Sebastião da Boa Vista.

Andamento do Processo n. 0024286-81.2017.4.01.0000 - Habeas Corpus - 14/06/2018 do TRF-1

PROCESSO PENAL. HABEAS CORPUS. CRIME DE RESPONSABILIDADE. INQUÉRITO POLICIAL INSTAURADO EM RAZÃO DE REQUISIÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. PRERROGATIVA DE FORO. AUTORIZAÇÃO DO TRIBUNAL PARA SUA ABERTURA. DESNECESSIDADE. DISTRIBUIÇÃO SEGUNDA SEÇÃO.
1. Habeas Corpus, com pedido de liminar, impetrado com a finalidade de promover o trancamento de inquérito policial instaurado a partir de requisição subscrita por procurador da República, com a finalidade de investigar irregularidade praticada por ex-prefeito municipal, atual Deputado Estadual Eraldo Pimenta MDB.
2. Inexistência de previsão legal quanto a autorização prévia do Tribunal para que o Ministério Público Federal possa requisitar a instauração de inquérito policial contra autoridade pública detentora de foro privilegiado. Precedente do STJ.
3. O trancamento de inquérito policial por habeas corpus é medida excepcional, somente aceita quando demonstrados, prima facie, a atipicidade da conduta ou a negativa de autoria, o que não ocorre nesse caso.
4. Concessão parcial da ordem tão somente para determinar a remessa dos autos à Coordenadoria de Registro e Informações Processuais-CORIP para distribuição a um dos integrantes da Segunda Seção.
ACÓRDÃO
Decide a Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, por unanimidade, conceder parcialmente a ordem de habeas corpus, nos termos do voto da Relatora.
Brasília-DF, 29 de maio de 2018.
Desembargadora Federal MÔNICA SIFUENTES

quinta-feira, 14 de junho de 2018

ASSALTANTE QUE TROCOU TIRO COM A POLICIA NESSA MANHÃ DE QUINTA FEIRA MORRE NA MESA DE CIRURGIA.

O Jovem de 17 anos que estava comente um assalto no inicio da manhã dessa quinta feira e trocou tiros com a policia morre em meios ao procedimento cirúrgico. Depois de mais de 2 horas de um processo cirúrgico para tentar salva a vida do meliante que estava cometendo assalto em Uruará , o mesmo não resistiu os ferimento e veio a obto. Segundo informações o mesmo era morador do município de Rurópolis onde os familiares já estão em transito para o Município de Uruará para reivindicar o corpo para o sepultamento.

ASSALTANTES RECEBE POLICIA A BALA E UM LEVA 3 BALAÇO.

No incio da manhã dessa Quinta Feira por volta das 5:30 Horas uma residencia localizada no centro da cidade de Uruará foi tomada por assaltos por 02 meliantes.
Por volta das 05:50 um vizinho da vitima, estava saindo para ir para academia quando a filha da vitima, chamou pedindo para chamar o mesmo chama a polícia.
Rapidamente a policia chegou no local, onde houve troca de tiros do ladroes com a polícia onde um saiu baleado com 3 tiros, um sendo na cabeça e dois na região da barriga.
Na casa moram 3 mulheres, onde os ladrões chegaram pedindo as joias e dinheiro, e apontaram o revolver em uma das vitimas onde a sobrinha pediu por favor para não atirassem, eles pegaram e prederam a dona da casa no banheiro, nesse intervalo que a filha chamou o vizinho para acionar a polícia.
O meliante de 17 anos conhecido por Aranha levou 03 tiros, foi socorrido para o Hospital municipal de Uruará onde esta passado por cirurgia, o outro meliante foi preso.  
Logo mais atualizaremos.
VEJA LOGO MAIS: ASSALTANTE E ALVEJADO EM TROCA DE TIROS COM A POLICIA E ESTA NESSE MOMENTO NA SALA DE CIRURGIA, LOGO MAIS AS ATUALIZAÇÕES.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

PGR pede investigação de senadores e ex-ministros em inquérito da J&F

As suspeitas que levaram à abertura de um novo inquérito foram levantadas nas delações premiadas do executivo Ricardo Saud e do ex-presidente da Transpetro, Helder Barbalho será investigado. 
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, respondeu a um pedido do ministro Edson Fachin,
do Supremo Tribunal Federal (STF), e esclareceu quem deve ser investigado em novo inquérito que apura suposto esquema de pagamentos milionários do Grupo J&F a parlamentares do MDB.
Raquel pediu que sejam investigados no inquérito os senadores emedebistas Jader Barbalho (PA), Eunício de Oliveira (CE), Renan Calheiros (AL), Valdir Raupp (RO), Eduardo Braga (AM), Dario Berger (SC), o ex-ministro da Integração Nacional Helder Barbalho, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo, então senador à época dos supostos pagamentos, e o ex-ministro Guido Mantega.
Além disso, a procuradora pede que se determine “expressamente” o desmembramento em relação ao ex-deputado e ex-ministro Henrique Eduardo Alves. Em 17 de maio, após abrir o inquérito, Fachin deu três dias para a PGR esclarecer quem deveria “efetivamente figurar como investigado” no inquérito. Segundo o ministro, a PGR não individualizou o rol de investigados.
As suspeitas que levaram à abertura de um novo inquérito foram levantadas nas delações premiadas do executivo Ricardo Saud e do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.
Em sua delação, Saud disse ter havido pagamento da ordem de R$ 46 milhões a senadores do MDB, a pedido do PT. Segundo o executivo, apesar de diversas doações terem sido oficiais, tratava-se na verdade de “vantagem indevida”, já que dirigentes do PT estariam comprando o apoio de emedebistas para as eleições de 2014 visando garantir a aliança entre os dois partidos.
Machado, por sua vez, declarou ouvir em reuniões ocorridas na casa de Renan “que o grupo JBS iria fazer doações ao PMDB, a pedido do PT, na ordem de R$ 40 milhões”.
Segundo Raquel, quanto a Mantega, apesar de não ter a prerrogativa de foro, não é possível desmembrar seu caso das investigações que correm no STF “porque o colaborador aponta que ele teria autorizado o repasse da vantagem indevida a todos os demais investigados”.
A procuradora também aponta que a conduta de Helder Barbalho seria “intrinsecamente” ligada às de Jader, porque o senador teria pedido o pagamento de vantagem indevida em favor de seu filho, que foi ministro. “Assim, não é possível, ao menos por ora, o desmembramento do feito”.
Já sobre o ex-deputado Henrique Alves, a PGR esclarece que as investigações podem tramitar separadamente. “Inclusive já se compartilhou cópia dos Termos de Depoimento com o Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte”, diz a procuradora.
A PGR se manifestou por não integrar ao rol de investigados os senadores do MDB Romero Jucá (RR), Edison Lobão (MA) e Roberto Requião (PR). “Apesar de citados por Sérgio Machado, estes não integraram os dados de corroboração fornecidos por Ricardo Saud, os quais foram utilizados como base para iniciar as apurações, razão pela qual não devem, neste momento, integrar o rol de investigados”, explica Raquel.
G1

terça-feira, 22 de maio de 2018

RURÓPOLIS: MP propõe ação de improbidade de ex-gestor por atraso de salários

Ao longo de 2017 diversas reclamações chegaram até a Promotoria de Justiça de Rurópolis referentes ao atraso de pagamento dos salários dos servidores públicos municipais referentes ao 13ª salário do ano de 2016 assim como o salário do mês de dezembro daquele ano. A partir das denúnicas, a Promotora de Justiça Rurópolis Mariana Sousa Cavaleiro de Macêdo Dantas, ajuizou Ação Civil Pública (ACP), contra o ex-prefeito do município, Pablo Raphael Gomes Genuino, por Ato de Improbidade combinado com Pedido de Dano Moral Coletivo.
A princípio, a Promotoria de Justiça de Rurópolis oficiou a Prefeitura Municipal para se manifestar sobre os fatos e apresentar a folha de pagamento do mês de dezembro e 13º salário do ano de 2016. O atual Prefeito, Joselino Padilha, confirmou que apenas parte da folha de dezembro e 13º salário dos servidores municipais havia sido paga.
No dia 30 de janeiro de 2017, o então prefeito Joselino Padilha, junto com a Secretária de Finança Silvia Patrícia Francisco, assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) comprometendo-se a efetuar o pagamento dos salários de dezembro de 2016, e 13º salário dos servidores efetivos, comissionados e temporários também referentes a 2016.
Assim sendo, foi instaurado o Procedimento Preparatório de nº. 000294-073/2017, para apurar a prática de improbidade administrativa por parte do ex-gestor do Município de Rurópolis, Pablo Raphael Gomes Genuíno. Após verificação do parecer contábil nº. 02/2017, que consta no Procedimento Preparatório citado, verificou - se que não havia explicação plausível para o não pagamento dos funcionários.
“O principal enfoque desta ação é pautado na inconstância no pagamento dos proventos salariais dos servidores de Rurópolis no ano de 2016, gerando grande repercussão entre estes, além de causar-lhes grandes transtornos, visto que a fonte de renda dos servidores havia sido cerceada sem explicações”, afirma a promotora Mariana cavaleiro na ACP instaurada.
A ACP proposta requer a manifestação do réu, no prazo de quinze dias, com direito a contestação. Além da perda da função pública que esteja exercendo ou cassação do benefício da aposentadoria; a suspensão de seus direitos políticos; a proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente; e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente.
Além do pagamento, a título de danos morais coletivos, em valor de, no mínimo, 100 mil reais. Valor que será revertido em investimentos diretos em políticas públicas destinadas à redução dos índices de analfabetismo, à efetivação de capacitação profissional e à melhoria nos serviços de saúde do Município de Rurópolis.
Leia aqui a ACP na íntegra 
Texto: Assessoria de Comunicação -MPE

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Anapu: Empresario é morto a tiros, família atribuiu o crime à disputa por terras

Foi assassinado à tiros em Anapu, o empresário e pioneiro na Região Transamazônica e Xingu, Luciano Albano Fernandes de 52 anos, segundo informações da polícia militar, Luciano estava em casa, quando saiu na varanda da residência para atender uma ligação por volta das 22h deste sábado (19), porém ao sair foi atingido por vários tiros.
O local exato do crime foi na área da antiga serraria da família Fernandes, nas margens da BR230, Luciano sangrou bastante e chegou a ser levado pelos irmãos Cláudio e Silvério para o hospital municipal de Anapu, mas ele não resistiu.
O Diário do Pará ouviu populares e pessoas próximas da família e todos atribuem o crime a disputa por terras na região de Anapu, conflito que já dura décadas. Após os disparos Luciano teria entrado na casa chamando pelos irmãos e dizendo “me mataram”, segundo relatos de policiais, a vítima não deu nenhum detalhe sobre o (s), assassino (s).
Além da equipe da Delegacia de Anapu, a Superintendência da Polícia Civil na região do Xingu, sediada em Altamira, determinou o enviou a Anapu de uma equipe da Delegacia de Homicídios de Altamira (DHA) para dar suporte às investigações do crime.
Após perícia no IML o corpo será velado em Altamira no prédio do SIRALTA - Sindicato Rural de Altamira na Travessa Bandeirantes 427, no Bairro Explanada do Xingu.
Em vídeo, compartilhado nas redes sociais, Silvério Fernandes, ex-vice-prefeito de Altamira, desabafa e cita a disputa por terras como o motivo do assassinato de Luciano, ele ainda pede ajuda de Jair Bolsonaro para conter a violência em Anapu.
Por: Felype Adms (Diário do Pará)

Porto de Moz: Corpo de adolescente é encontrado semi nua em sítio

Rafaela Monteiro do Nascimento adolescentes de 17 anos foi encontrada morta, em um sítio na zona urbana de Porto de Moz, no Baixo Amazonas, neste domingo (20). De acordo com informações da Polícia Civil, assim que tomou conhecimento da ocorrência, uma equipe foi até o local. Os policiais encontraram a jovem seminua, usando apenas sapato de festa na cor preta e calcinha. Próximo ao corpo estava o vestido da vítima.
A Polícia Civil informou ainda que já estão sendo colhidos depoimentos para ajudar nas investigações. Policiais também estão no local levantando imagens de câmera e intimando novas testemunhas.
O corpo da vítima foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Altamira, no sudoeste paraense. Investigações estão em andamento, mas o crime brutal assustou a cidade, que já vem sofrendo com a violência.
Por: Felype Adms | Xingu230

quinta-feira, 17 de maio de 2018

HOMEM QUE SE PASSAVA POR MEDICO PODE TER COMETIDO UM ASSASSINATO EM MEDICILÂNDIA

Falso médico que atuava em pelo menos 3 cidades da região do Xingu é acusado de negligência durante um parto cesariana, que resultou na morte de uma jovem de 23anos em Medicilândia.
Em nota a Secretaria de Saúde de Medicilândia informou que também foi enganada pelo falso médico. O secretário diferente do diretor do hospital, disse que é impossível afirmar que não houve erro médico em relação ao caso da paciente citada na reportagem. Só a perícia irá confirmar ou não o erro. Já a empresa terceirizada, responsável pela contratação do médico, informou que Pedro de Alcântara foi indicado por um outro profissional de Porto de Moz, apresentou toda a documentação no nome de João Rosa Filho, e que por isso, não desconfiou de que seria um falso médico.

Duas pessoas sãos executadas com disparos de Calibre 12 em Placas

Um crime brutal aconteceu por volta das 19:30 da noite desta quarta-feira no município de Placas, região da Transamazônica. O fato aconteceu na área comercial da cidade.
Waddace Generoso Pessoa(Keko), 23 anos, e Alex(ex-presidiário), executados sem piedade
As primeiras informações é de que as duas vítimas se encontravam dentro de uma barbearia, e foram alvejadas por tiros de escopeta calibre 12, desferido por um elemento encapuzado usando uma moto de marca Pop, de cor preta. Segundo informações, o criminoso chegou atirando, sendo que o primeiro tiro pegou em Waddace Generoso Pessoa(Keko), 23 anos, e depois na outra vítima conhecida apenas por Alex(ex-presidiário). Foram efetuados exatamente 3 disparos. 
Uma pessoa que nãos quis se identificar por medida de segurança, afirmou que os tiros foi todos de curta distância, e que a massa cefálica das vítimas ficou todas espalhadas pelo local, atingindo até mesmo o teto do local do crime. E que a arma usada era de grosso calibre e de repetição automática. 
Além das duas vitimas que se encontram no necrotério do Hospital Municipal da cidade. Também foi baleado o barbeiro conhecido por Lourinho, principal testemunha do duplo assassinato. 
A Policia Militar e Civil até o momento não tem informações sobre o que motivou o crime, e faz buscar para encontrar o executor das duas vítimas.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Fachin autoriza inquérito para investigar repasses da J&F a políticos do MDB

Ministro do Supremo atendeu a pedido da Procuradoria Geral da República. 
Delatores disseram em depoimentos que a J&F repassou mais de R$ 40 milhões 
ao MDB nas eleições de 2014.
O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou abertura de um inquérito para investigar se houve repasses de cerca de R$ 40 milhões da J&F a políticos do MDB durante a campanha eleitoral de 2014.
A decisão foi tomada nesta terça-feira (15) e registrada nesta quarta (16) no sistema do STF.
Relator da Lava Jato no Supremo, Fachin autorizou a abertura do inquérito atendendo a um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), apresentado em abril.
Segundo a procuradora-geral, Raquel Dodge, as suspeitas são baseadas nas delações premiadas de Sérgio Machado, ex-senador pelo MDB e ex-presidente da Transpetro, e de Ricardo Saud, ex-executivo da J&F.
Delações
Nos depoimentos, Sérgio Machado disse ter chegado ao conhecimento dele que a JBS, empresa do grupo J&F, faria doações à bancada do MDB do Senado em 2014 no valor de R$ 40 milhões, a pedido do PT.
Ainda de acordo com o delator seriam beneficiados com a doação os senadores Renan Calheiros (AL), Jader Barbalho (PA), Romero Jucá (RR), Eunício Oliveira (CE), Vital do Rêgo (PB), hoje ministro do Tribunal de Contas da União, Eduardo Braga (AM), Edison Lobão (MA), Valdir Raupp (RO) e Roberto Requião (PR), "dentre outros".
Ricardo Saud, por sua vez, afirmou – segundo a PGR – que houve pagamento de aproximadamente R$ 46 milhões a senadores do MDB, a pedido do PT.
Segundo o delator, apesar de diversas doações terem sido realizadas de forma oficial, "tratava-se de vantagem indevida, uma vez que dirigentes do PT estariam comprando o apoio de peemedebistas para as eleições de 2014 como forma de assegurar a aliança entre os partidos".O delator afirmou ainda, que o objetivo era "manter a unidade no PMDB, já que havia, à época, risco de ruptura, com a perspectiva de integrantes do partido passarem a apoiar formalmente a campanha de Aécio Neves à Presidência da República."
Indícios apontados pela PGR
Veja quais são as suspeitas que a PGR levantou a respeito dos investigados:
Eduardo Braga: o senador é suspeito de ter recebido pagamentos por meio de serviços de táxi aéreo no valor de R$ 6,08 milhões.
Vital do Rêgo: teria recebido pagamentos por meio da emissão de notas frias para empresa de comunicação no valor de R$ 6 milhões.
Jader Barbalho: o senador teria recebido R$ 8,9 milhões por meio de empresa de consultoria, de transportes, e de advocacia e por meio de doações oficiais ao diretório do MDB do Pará, além de doação oficial para o filho Helder Barbalho.
Eunício Oliveira: teria recebido R$ 5,6 milhões por meio de notas fiscais frias emitidas por empresas de filmes e pesquisas de opinião, além de doações oficiais ao MDB.
Renan Calheiros: o senador é suspeito de ter recebido R$ 9,9 milhões por meio de notas fiscais frias emitidas para empresas de comunicação, empresas de pesquisa e doações oficiais.
Henrique Eduardo Alves: teria recebido ilegalmente R$ 2,9 milhões.
Na época em que se tornaram públicas as delações dos executivos da J&F, os parlamentares do MDB que agora são alvo do inquérito aberto por Fachin negaram recebimento de verba irregular.
Raquel Dodge afirma que há indícios suficientes para investigação dos políticos mencionados.
"A comprovação de doações oficiais para o Diretório Nacional do PMDB com subsequente repasse para Diretórios estaduais dos Senadores, a apresentação de contratos fictícios e de notas fiscais frias dão veracidade aos depoimentos prestados por Sérgio Machado e Ricardo Saud. Há indícios suficientes para justificar a abertura de investigação no âmbito desta Corte em relação aos parlamentares e demais envolvidos", afirma a procuradora em documento enviado ao Supremo.
A procuradora apontou suspeitas de corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
Foro privilegiado
Ao decidir pela abertura do inquérito, Fachin destacou que, no momento, não é possível dividir a investigação sobre as pessoas sem foro privilegiado porque houve "descrição de condutas materialmente imbricadas".
No último dia 3, o Supremo decidiu que deputados federais e senadores só terão direito ao foro privilegiado em casos de crimes cometidos durante o mandato e em função da atividade parlamentar.
"Nessa toada, e em juízo preambular, eis que ainda não sujeito a qualquer contraditório, há razão suficiente para, neste momento, reconhecer que os fatos ocorridos denotam especial interligação nas condutas atribuídas a parlamentares federais e aos demais envolvidos, a recomendar a persecução abrangente dos fatos narrados e evitar decisões contraditórias", escreveu o relator da Lava Jato.
De acordo com o ministro, a PGR aponta, por exemplo, que "as solicitações de vantagens indevidas pelos agentes políticos, antes de serem definitivamente entregues, dependiam de prévios interlóquios entre o ex-executivo Joesley Batista e Guido Mantega, ministro da Fazenda à época dos fatos".
O ministro também determinou que o inquérito seja enviado à Polícia Federal, que terá 60 dias para realizar coleta de provas. Nesse período, deverão prestar depoimento:
Sérgio Machado, ex-senador pelo MDB e ex-presidente da Transpetro;
Joesley Batista, dono do grupo J&F;
Ricardo Saud, executivo do grupo J&F;
Renan Calheiros, senador pelo MDB;
Jader Barbalho; senador pelo MDB;
Eunício Oliveira, senador pelo MDB e presidente do Congresso;
Vital do Rego, ex-senador pelo MDB e ministro do TCU;
Eduardo Braga, senador pelo MDB;
Valdir Raupp, senador pelo MDB;
Dario Bergher, senador pelo MDB;
Helder Barbalho (MDB-PA), ex-ministro da Integração;
Henrique Alves (MDB-RN), ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara;
Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda.
Por G1

segunda-feira, 14 de maio de 2018

VITÓRIA DO XINGU: Operação Lessons prende mais um acusado

Foi preso neste domingo (13), na cidade de Aparecida de Goiânia, Marcelo dos Santos Marreiros, que era procurado na Operação Lessons, deflagrada em abril pelo Ministério Público do Estado. O empresário é ex-pregoeiro da prefeitura municipal de Vitória do Xingu e é acusado de participação num esquema de desvio de dinheiro da secretaria de educação do município. Marcelo dos Santos Marreiros foi localizado por meio de denúncia anônima e permanece preso em Aparecida de Goiânia até que a justiça viabilize os detalhes de sua transferência para o Estado do Pará. Até o momento a justiça ainda não definiu se ele ficará num presídio em Belém ou se será transferido para o presídio de Altamira.
Na semana passada o acusado Washington Luiz Dias Lima, empresário que também foi preso na operação, conseguiu na justiça um habeas corpus e foi posto em liberdade. Os demais acusados permanecem presos. Entre eles, o empresário Alberto Pereira de Souza Júnior, o radialista Raimundo Nonato da Silva Pereira e Joel Shigueru Yamanaca, secretário de Administração de Vitória do Xingu. Já o vice-prefeito de Vitória do Xingu, Murilo Ferreira de Souza, é o único que continua foragido.
O Promotor de Justiça titular da 5° Promotoria de Justiça de Altamira, Daniel Braga Bona, instaurou inquérito civil para investigar se os denunciados por envolvimento nas fraudes em licitações tiveram enriquecimento ilícito.
Conforme apurado pelo MPPA, a fraude ao processo licitatório causou prejuízo à prefeitura de Vitória do Xingu na ordem de R$ 5,6 milhões, em valores atualizados. O valor foi desviado para contas bancárias particulares a pretexto de pagamentos de contratos os quais não apresentaram comprovação se o serviço efetivamente foi cumprido.
Leia Também
Texto: MPE: Assessoria de Comunicação




Servidores do Detran suspendem paralisação

Após 29 dias em greve, a categoria resolve voltar ao trabalho nessa segunda, 14. O movimento grevista deve continuar até audiência com a Justiça marcada para junho, informa sindicato.
Os trabalhadores em greve do Departamento de Trânsito do Pará (Detran) anunciaram na sexta-feira (11) que devem retornam ao trabalho nessa Segunda feira  (14). A paralisação já dura 29 dias. A categoria disse, no entanto, que deve permanecer com o movimento grevista até o dia 8 de junho - dia que está marcada a audiência de conciliação no Tribunal de Justiça do Pará (TJPA).
A reunião marcada para 10h no Tribunal de Justiça, localizado na av. Almirante Barroso, deve reunir representantes do Governo do Estado e do Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Pará (Sindtran).
O Diretor do Detran Bruno Lobo Uruará,  informou que as atividades do órgão no Município de Uruará volta a normalidade nessa Segunda feira, onde as vistorias já podem ser realizadas.
Bruno informa também que  devido ao movimento grevista a banca examinadora esteve ausente do Município, onde um cronograma esta sendo montado para supri a demanda no município e já esta agendado dia 19 e 20 de Maio a vinda da Banca examinadora e seguindo um cronograma a cada 45 dias a banca estará realizando os trabalhos no município de Uruará.
A Justiça decretou na quarta-feira (9) a abusividade da greve e determinou que 80% dos servidores retornem ao trabalho imediatamente, assim como a cobrança de uma multa diária de R$ 5 mil por obstrução de vias e depredação do patrimônio público. Em seguida, a categoria havia decidido pela manutenção da greve.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

MÁ FÉ DO ATUAL PREFEITO DE URUARÁ, MESMO DEPOIS DA RENUNCIA SALÁRIOS DE EX VICE-PREFEITO CONTINUA A SER PAGO.

EX-VICE PREFEITO DE URUARÁ SID BUENO, PODERÁ ACIONAR A JUSTIÇA PARA QUE O SALARIO DE VICE-PREFEITO PARE DE ENTRAR EM SUA CONTA.
Diante de 3 meses da renuncia do cargo de vice prefeito ,Sidnei Bueno da Fonseca conhecido, Sid Paulista de 50 anos filiado no PT do B, entregou na manhã dessa Segunda feira 07 de Maio, ao secretario de administração de Uruará um oficio solicitando o cancelamento dos salários de Vice prefeito e os meios da devolução dos salários já debitados em sua Conta.
Diante da situação Sidynei, solicita que o pagamento da remuneração do cargo de Vice- Prefeito seja Cancelada imediatamente, onde também solicita que a administração Publica do Município de Uruará, informe quais meios sera tomado para a devolução dos valores depositados indevidamente apos a sua renuncia. O empresario destaca ainda que os valores permanece intocáveis em sua conta aguardando os meios legais para devolução.
Depois de muito empenho durante as eleições de 2016 na chapa de vice prefeito com o atual prefeito Gilson Brandão é acreditado tanto na mudança prometida em palanques o vice Prefeito Sidney, desacreditou na atual administração do Prefeito Gilson Brandão que dirige os recursos publico de Uruará, onde o prefeito esta sendo considerado uns dos piores, mentiroso, caloteiro, sem compromissos, onde não tem nem 10% de aprovação de seu governo. 

Polícia Civil prende em flagrante homem que atuava ilegalmente como médico em Porto de Moz

A Polícia Civil prendeu em flagrante, neste sábado (5), um homem que atuava ilegalmente como médico no Hospital Municipal de Porto de Moz, sudoeste paraense, desde janeiro deste ano. Pedro Alcântara Queiroz foi flagrado em plena atividade médica no momento em que fazia ultrassons em mulheres gestantes. A delegada Alessandra Insabrald, de Porto de Moz, explica que o preso é suspeito de ter causado um aborto em uma grávida que havia sido atendida na unidade de saúde.
O flagrante foi realizado após investigações realizadas pela equipe policial que recebeu informação sobre o exercício ilegal da Medicina cometido por Pedro. Diante da informação, os policiais civis foram até o Hospital, de onde conduziram o acusado até a Delegacia de Porto de Moz para os procedimentos cabíveis.
Ele foi autuado com base nos artigos 282 (exercer profissão de médico sem autorização legal) e 328 (usurpação de função pública), do Código Penal. Sob coordenação da delegada Alessandra, a equipe policial era formada pelo investigador Marcio Loiola e escrivão Thiago Silva. As investigações sobre a prática ilegal continuam.
Com informações Pc-Pa

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Justiça determina perda do mandato do deputado federal Josué Bengston (PTB/PA), da máfia das ambulâncias

Parlamentar teve os direitos políticos suspensos por oito anos e foi condenado a pagar R$ 150 mil em multas e devolução de recursos aos cofres públicos
Prejuízos não contabilizados na sentença serão calculados em novo procedimento judicial (imagem ilustrativa por Brian Turner em licença CC BY 2.0 via Wikimedia Commons e Flickr)
A Justiça Federal condenou o deputado federal Josué Bengston (PTB/PA) por enriquecimento ilícito por meio do esquema de desvio de recursos da saúde que ficou conhecido como máfia das ambulâncias ou escândalo dos sanguessugas. Bengston foi condenado à perda do mandato, teve os direitos políticos suspensos por oito anos e terá que pagar cerca de R$ 150 mil em multas e devolução de recursos.
A sentença, do juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz, foi encaminhada para conhecimento do Ministério Público Federal (MPF), autor da ação, nesta última quarta-feira, 2 de maio. Cabe recurso contra a sentença ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília (DF).
Os municípios paraenses citados na sentença como prejudicados pelos desvios, realizados com a participação de Josué Bengston nos anos 2000, foram Ulianópolis, Bagre, Santa Luzia do Pará, Tracuateua, Faro, Ponta de Pedras, Palestina do Pará e São Félix do Xingu. Apenas os prejuízos a Ulianópolis e Bagre já foram computados. Os prejuízos aos demais municípios serão apurados em outro procedimento judicial, determinou o juiz federal.
Segundo resumo nas alegações finais do MPF no processo, assinadas pelo procurador da República Bruno Valente, “Josué Bengston, na sua condição de deputado federal, direcionava as emendas para os municípios de seu interesse, indicando o nome do prefeito, e posteriormente as licitações eram fraudadas para que o objeto fosse adjudicado pela empresa Planam, que previamente depositava contrapartidas indevidas na conta do deputado e da instituição religiosa [da qual Bengston faz parte]".
“O depoimento de Luiz Antonio Trevisan Vedoin, sócio do grupo Planam, na ‘CPI das Ambulâncias’, foi categórico no sentido de que o réu tinha recebido propina do grupo Planam para direcionar emendas parlamentares com a finalidade de viabilizar economicamente licitações em municípios paraenses, as quais seriam (e efetivamente foram) vencidas pelas empresas do grupo Planam”, destacou. o juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz na sentença.
Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Assalto com refém na agência do Sicredi de Castelo de sonhos

Uma grande movimentação mobiliza Castelo De sonhos na manhã desta quinta-feira (03) assaltantes invadiram a agência da Sicredi, localizada na avenida Principal do distrito.
Com armas de grosso calibre, os assaltantes trajando roupas escuras, camisas pretas de manga longa e com capuz preto, adentraram a agência e, depois de dominar o segurança e os funcionários obrigaram a gerente a abrir o cofre.
Em seguida os assaltantes, fizeram vários reféns, comerciante de Novo Progresso esta entre eles.
Eles fugiram sentido aldeia indigena.
Por: Jornal Folha do Progresso

Com Lula preso, instituto faz vaquinha, organiza brechó e corta custo para sobreviver

A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agravou a já agonizante situação financeira do instituto que leva seu nome.
Com previsão de gasto de R$ 120 mil mensais, o Instituto Lula tem pouco menos de R$ 200 mil em caixa. E esse dinheiro está bloqueado pela Justiça.
Para pagamento de despesas obrigatórias, como benefícios previdenciários de seus funcionários, o instituto tem sido obrigado a pedir à Justiça a liberação dos recursos.
No dia 15 de março, a entidade lançou uma campanha para arrecadar R$ 720 mil, suficientes para cobrir gastos do primeiro semestre. Desses, 68% são para funcionários. Outros 14% referem-se a custos com água, luz e telefone.
Um mês e meio depois de iniciada, porém, a vaquinha só conseguiu amealhar 26,8% da meta. Foram R$ 193 mil até esta quarta-feira (2).
Como as doações foram feitas via internet, esse dinheiro também está bloqueado. Sem a presença de Lula para impulsionar a campanha de arrecadação e com aumento das despesas de viagens a Curitiba, onde o ex-presidente está preso, o instituto intensificou os cortes de custos.
Uma das medidas foi a transferência do aluguel de um prédio anexo para o PT, onde funcionavam administração e diretorias da instituição. Assim pouparia R$ 10 mil mensais.
O PT instalou no endereço a comissão responsável pela elaboração do programa de governo de Lula, a cargo do ex-prefeito Fernando Haddad. O instituto também reduziu a folha de pessoal à metade. Hoje, conta com sete funcionários. Pelo menos cinco colaboradores diretos do ex-presidente, como seus assessores de imprensa, estão hoje contratados pelo PT.
As despesas com a permanência de auxiliares do ex-presidente em Curitiba correm por conta do partido.
Desde o ano passado, diretores do instituto foram incorporados à estrutura partidária com direito à remuneração. É o caso do ex-ministro Luiz Dulci, hoje na vice- presidência do PT.
O partido custeou ainda as caravanas que Lula protagonizou pelo Nordeste, Sul e Sudeste.
A crise é efeito da Operação Lava Jato. As investigações afugentaram empresas contratantes de palestras do ex-presidente, pelas quais Lula recebia cerca de R$ 200 mil.
De 2011 até 2016, a arrecadação chegou a R$ 32 milhões. Como o instituto era enquadrado como uma instituição sem fins lucrativos, pagou cerca de R$ 2 milhões em impostos. Os outros R$ 30 milhões foram gastos com seu funcionamento.
Em agosto de 2016, a Receita suspendeu a isenção tributária do instituto retroativamente a cinco anos, alegando que a instituição realizou gastos estranhos a atividades típicas de uma ONG.
A cobrança de impostos, somada à aplicação de multas, supera R$ 15 milhões. Por isso, as contas pessoais de Lula e do presidente do instituto, Paulo Okamotto foram também bloqueadas.
Diante das dificuldades financeiras, Okamotto planeja lançar uma campanha de arrecadação em espécie, evitando novo bloqueio dessas doações. Os apoiadores do ex-presidente organizaram um brechó em busca de recursos para o acampamento em defesa de Lula em Curitiba.
"Estamos aumentando as atividades realizadas com voluntários", afirma Okamotto. Sobre a baixa arrecadação da campanha, ele diz que o instituto pagará suas despesas. "Só foi iniciada há um mês. O instituto não irá fechar"

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Polícias Civil e Militar em atuação nas buscas a grupo de assaltantes em Brasil Novo

Sobre o caso do assalto a agência do Banco do Brasil, ocorrida na madrugada desta quarta-feira, 1°, no municipio de Brasil de Novo, sudoeste paraense, a Polícia Civil informa que agentes de segurança já foram deslocados para o local a fim de atuarem nas buscas à associação criminosa. Dentre as medidas adotadas estão a atuação da policiais civis do Núcleo de Apoio à Investigação de Altamira (NAI) e da Superintendência Regional do Xingu, além de policiais militares da região de Altamira que também foram deslocados de imediato para Brasil Novo. De Belém, foram acionados policiais civis da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos e Antisequestro (DRRBA), vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), e policiais militares da Companhia de Operações Especiais (COE).
A Polícia Civil esclarece que segundo informações preliminares por volta de 2 horas, cerca de nove homens armados com fuzis e espingardas calibre 12 chegaram ao município em, pelo menos, dois veículos. Parte do grupo passou a atirar em direção ao destacamento da PM para conter os policiais, enquanto os demais foram a agência e invadiram o prédio a tiros. Em seguida, usaram explosivos para abrir o cofre.
Na fuga, os criminosos pegaram cinco moradores reféns que foram levados nos veículos até a saída da cidade, onde os reféns foram liberados. Ninguém ficou ferido. Depois, os assaltantes tomaram rumo em direção ao município de Altamira. Na estrada, um dos veículos, modelo Fiat Uno, usado pelo bando, foi incendiado sobre uma ponte. O grupo seguiu, em seguida, pela estrada vicinal conhecida como Travessão da 20, onde uma caminhonete modelo Hilux, também usada na fuga, foi abandonada. A Polícia Civil reforça que as diligências policiais permanecem no local.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Agência do BB em Brasil Novo é alvo de bando armado

Foram pelo menos 40 minutos de tiros ouvidos por moradores no centro da cidade nesta madrugada de terça (1º), Dia do Trabalhador em Brasil Novo no Sudoeste do Pará, segundo informações um bando armado invadiu a agência logo após as 2h da madrugada, cápsulas de armas de grosso calibre foram encontradas em varias partes da cidade, vidraças do Banco e portas giratórias foram quebradas, muitas explosões foram ouvidas.
O destacamento da PM foi crivado de tiros, viaturas foram alvo dos disparos, em pânico pessoas que trabalham a noite se trancaram em casa, nas redes sociais pânico e medo durante o assalto. Reféns foram pegos aleatoriamente e levados pelos criminosos sentido Medicilândia, mas na ponte do Ig. do Arrependido foram liberados, ninguém ficou ferido.
Pedaços de metal pontiagudos chamados de “miguelito” foram espalhados por pelo menos 10km na BR230 para dificultar o trabalho da polícia, viaturas que saíram de Altamira para Brasil Novo tiveram os pneus furados por essas peças, moradores e motoristas que passam pela região também estão tendo dificuldades para tráfego na Transamazônica. Um carro foi incendiado na ponte do Rio Jaurucu, entre Altamira e Brasil Novo.
Buscas estão sendo feitas, segundo a PM seriam entre 15 e 20 homens fortemente armados e usando capuz, o bando estaria em duas caminhonetes; uma modelo Hilux e outra Triton, não se sabe quanto em dinheiro foi levado do Banco, outras informações a qualquer momento.
Por: Felype Adms | Xingu230

sábado, 28 de abril de 2018

CAMIONETE ROUBADA EM URUARÁ É PRESA EM ITAITUBA

EM MENOS DE 10 DIAS 3 CAMIONETES 
SÃO ROUBADAS NO MUNICÍPIO DE URUARÁ.
Nesta sexta feira, 27, uma camionete Hilux Preta de placa OTD 3015, de Eldorado dos Carajás, foi
roubada a 23 KM de Uruará, no "Chapadão"
De acordo com informações, estavam no veículo quatro pessoas, sendo um rapaz e três mulheres que seguiam para a cidade de Santarém para fazer o concurso do BASA. 
Os dois assaltantes retornaram para Uruará com as 4 vítimas, a fim de roubar objetos e dinheiro na casa do proprietário do veículo. Depois de ficar mais de 3 horas refém dos criminosos, após roubarem jóias, dinheiro e vários outros objetos, os assaltantes seguiram pela estrada rumo à cidade de Itaituba. 
A camionete possuía GPS e o proprietário conseguiu a localização da Hilux. A Polícia Militar de Itaituba foi informada e conseguiu apreender a Camionete na balsa que faz a travessia Itaituba/Miritituba.
Outro assalto ocorrido no ultimo dia 18 na mesma modalidade, onde 02 rendeu uma família, que ficaram reféns de dois criminosos zona rural de Uruará (PA) numa propriedade de lavoura cacaueira km 205 norte, e roubaram a camionete e vários pertence.Ainda segundo informou a Polícia Militar, na manhã desta do dia 18, os mesmos indivíduos assaltaram uma família do município de Medicilândia que seguiam para a cidade de Santarém pela estrada do Chapadão (km 180 norte) a cerca de 25 km da cidade de Uruará, quando a família que reside no km 70 em Medicilândia, foi obrigada a sair do veículo e ficar no meio da estrada enquanto os indivíduos que estavam em uma motocicleta roubavam a caminhonete hilux, mas acabaram tombando o veículo ao passarem em frente ao lixão ainda no km 180 norte e o assalto foi mal sucedido. O veículo ficou destruído
Com partes das informações: Blog Jean Da Garapeira

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Altamira: Ação contra Celpa quer R$ 2 milhões de indenizações após denúncias de cortes de energias

As Centrais Elétricas do Pará (Celpa) é alvo de uma ação civil pública movida pela promotoria de Justiça de Altamira, sudoeste do Pará, por dezenas de reclamações dos consumidores que não foram resolvidas desde 2015. Em nota, a Celpa informou que ainda não foi notificada da ação proposta pelo Ministério Público e por isso não pode se manifestar sobre o teor do processo.

A ação pede que a empresa pague mais de R$ 2 milhões em indenização por danos morais coletivos, pela insatisfação que vem causando à população.
O promotor de Altamira Antônio Manoel Cardoso Dias disse que a concessionária deve deixar de efetuar ameaças através de notificações e de suspender o fornecimento de energia elétrica.
A ação prevê multa nos casos em que se confirme que houve pressão, humilhação, desrespeito ou qualquer outra conduta contra as normas morais em acordos.
A empresa foi condenada a devolver em dobro o valor de toda e qualquer quantia indevida cobrada dos consumidores, devendo os valores serem revertidos em créditos na conta de luz dos consumidores.
Na ação, o Ministério Público do Pará (MPPA) requer ainda que a empresa pare de instalar o medidor digital nas residências sem a prévia e registrada confirmação de vontade do responsável. O não cumprimento prevê multa por cada instalação.
De acordo com a ação, a Celpa também não poderá interromper o fornecimento de energia dos consumidores que formalizem reclamação quanto ao erro de leitura do medidor até que seja demonstrado o valor correto a ser cobrado, estando sujeita a multa, caso isso venha a acontecer.
A empresa também pode pagar multa pelos casos em que seja realizada vistoria para verificação de investigação de possível desvio de registro de consumo de energia sem a presença do responsável pela unidade consumidora.
E também pelos casos em que não for entregue ao consumidor o laudo pericial que tenha atestado a alteração ilegal do medidor de relógio, assim como os cortes nos casos que ainda estão em apuração quanto à inadimplência ou investigação de consumo não registrado.
A promotoria informou que deve enviar as reclamações ao Ministério Público Federal para eventual adoção de providências junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Anaeel), por causa da delegação de prerrogativas indelegáveis e omissão na fiscalização na Celpa e no atendimento das demandas do consumidor.
Em nota, a Celpa alegou que "todos os seus procedimentos comerciais obedecem rigorosamente às regras do Setor Elétrico Brasileiro, conforme determinadas pela ANEEL. No caso de dúvidas em relação ao valor da conta de energia, o cliente deve buscar informações por meio dos canais de atendimento 0800 091 01 96, na internet no site da Celpa, ou pelo aplicativo da Celpa que pode ser baixado gratuitamente em smartphones e tablets, além das agências de atendimento presencial"

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Uruará: Operação policial já apreendeu 9 veículos no caso Bola 8, mais uma caminhonete hilux foi apreendida

Polícia Civil continua investigando o caso da quadrilha
 especializada em roubo de veículos em que empresário de Uruará já está preso
A Polícia Civil (PC) apreendeu mais uma caminhonete em Uruará (PA) que pode fazer parte do esquema criminoso praticado por uma possível quadrilha especializada em furto e roubo de veículos a qual tinha como um dos principais integrantes um conhecido empresário do município de Uruará do ramo de despachante. Desde o início da operação já foram apreendidos 8 veículos avaliados em mais de 1 milhão de reais, sendo 5 apreensões em Uruará, 2 apreensões em Altamira e 1 apreensão na cidade de Placas. As investigações sobre o esquema criminoso já estavam em curso, porém a polícia decidiu antecipar a operação após a prisão de uma pessoa em Altamira com uma caminhonete roubada.
A mais recente apreensão de veículo efetuada durante a ação policial foi registrada na sexta-feira, 20, uma caminhonete hilux ano 2017 na cor prata que ao ser verificado no sistema constou como veículo roubado na região do município de Canaã dos Carajás, no sudeste do Pará, onde também havia sido roubada a caminhonete encontrada com o empresário no momento de sua prisão. Uma denúncia anônima ajudou a polícia a fazer a apreensão. Segundo informou a Polícia Civil, durante as investigações já se descobriu que mais de 20 caminhonetes foram roubadas na região do município de Marabá (sudeste do estado), possivelmente em roubos relacionados ao esquema praticado pela quadrilha especializada em furto e roubo de veículos no intuito de adulterar e clonar placa com a identificação do Paraguai e posteriormente vender as caminhonetes aparentemente legal. Ainda não se sabe há tempo a quadrilha vinha atuando na região.
As investigações tiveram início após a Polícia Civil de Uruará ser informada da prisão ocorrida em Altamira de dois indivíduos do município, sendo um deles um conhecido empresário, o Bola 8, e com eles foram encontradas duas caminhonetes, sendo uma delas roubada no município de Canaã dos Carajás e a outra, uma hilux, foi identificada com placa do Paraguai, mas com indícios de adulteração no chassi e posteriormente constatada como roubada, a equipe de plantão da Polícia Civil de Uruará passou a diligenciar em busca de veículos com as características de placas do Paraguai e produto de roubo. Vários veículos foram conduzidos para averiguação na Depol (Delegacia de Polícia). No curso das apurações investigativas a equipe policial descobriu que no município de Placas havia uma caminhonete ranger com placa do Paraguai e que estaria envolvida no esquema, a equipe da Polícia Civil de Placas foi acionada e efetuou a apreensão do veículo para averiguação.
Segundo a polícia, as investigações sobre o caso continuam, assim como a operação.
Participa da operação a equipe da Polícia Civil de Uruará, IPC Michel, IPC Aline, IPC Eládio, EPC Ivan, EPC Leandro e DPC Rodrigo Delamary, sob recomendação do Superintendente DPC Walison Damasceno.
Sendo comprovado o envolvimento da hilux apreendida na sexta-feira, 20, que não estava com indícios de adulteração, mas consta como roubada, aumentará para 9 o número de veículos apreendidos na operação.
Por Joabe Reis

Polícias Civil e Militar prendem líder de bando de assaltantes de carros-fortes no Pará

A Polícias Civil e Militar apresentaram, nesta segunda-feira (23), em entrevista coletiva, na Delegacia-Geral, em Belém, informações sobre a operação integrada que resultou na prisão do
maranhense Adriano da Silva Brandão, conhecido como "Adriano Pânico" ou "General", considerado um dos maiores assaltantes de carros-fortes em atuação no Brasil e líder de um grupo especializado nesse tipo de modalidade criminosa. Com ele, os policiais apreenderam um fuzil AK 47 - arma de guerra -, dezenas de munições; dois coletes à prova de balas; quatro capuzes tipo "balaclava"; luvas; cordel detonador de explosivos; carregadores de armas e roupas camufladas. O material é usado em ataques a veículos de empresas de transporte de valores. Adriano é um dos envolvidos no ataque a dois carros-fortes da empresa Prosegur em 30 de novembro do ano passado, perto da fazenda Cedro, a 50 quilômetros da sede de Marabá, sudeste do Estado.
Com a prisão de Adriano, três envolvidos no assalto estão presos, um morreu e outros três estão foragidos. Na ocasião, os veículos faziam o transporte de numerários para agências bancárias na região, quando a estrada foi bloqueada por um bando armado de cerca de oito homens em três carros. O grupo passou a efetuar disparos de fuzil calibre ponto 50 em direção aos carros-fortes, obrigado os vigilantes a abandonar os veículos na rodovia. Em seguida, os criminosos roubaram os numerários.
A coletiva foi presidida pelo delegado geral adjunto da Polícia Civil, Rogério Morais. Estiveram presentes também os delegados Silvio Maués, diretor de Polícia do Interior; Tiago Belieny e Fausto Bulcão, da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos e Antisequestro (DRRBA), vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), e Ricardo Rosário, titular da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), e ainda do coronel PM Marco Antônio Rocha, chefe do Departamento Geral de Operações da PM do Pará. 
De acordo com o delegado Fausto Bulcão, da DRRBA/DRCO, a prisão foi realizada na rodovia Belém-Brasília, em uma estrada vicinal situada no trecho da cidade de Dom Eliseu, enquanto o acusado conduzia o carro desde Imperatriz (MA) com destino ao município de Rondon do Pará. "Recebemos a informação de que ele seguia em um carro modelo Range Rover Evoque, cor branca. Ficamos de campana na estrada até identificarmos o veículo que é roubado e clonado", detalha. O carro, com placa de Itajaí (SC), é roubado e estava com placas clonadas. O veículo teve os bancos de trás retirados para utilização do espaço no transporte e uso do fuzil ponto 50. 
Em 19 de janeiro deste ano, foi realizada uma operação coordenada pelos delegados Evandro Araújo, diretor da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), e Ricardo do Rosário, titular da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), com apoio da Superintendência Regional de Marabá e da Seccional de Polícia de Marabá e ainda de policiais militares do Grupo Tático Operacional (GTO) da PM de Marabá, para prender os criminosos que estavam usando uma casa, no bairro Belo Horizonte, em Marabá, como esconderijo. Durante a operação, foi preso Alexandro Alexandro da Costa Souza, paraense de Marabá, que foi encontrado em uma caminhonete usada para transportar as munições e os explosivos usados no crime. Era Alexandro o responsável em guardar o material. Com a prisão dele, os policiais localizaram o endereço onde estava o restante do grupo.
No momento da chegada dos policiais à casa, os outros componentes do bando já estavam armados e posicionados no muro da residência. Com a chegada das viaturas ao local, os criminosos começaram a atirar. Na troca de tiros, o pernambucano Saulo Frederico Alves Freire, de apelido "Pernambuco", foi morto. Ele chegou a usar o fuzil ponto 50 contra os policiais. Durante a perseguição, os policiais prenderam o amapaense Josiel Oliveira Costa, natural de Macapá. Outros quatro integrantes do bando, entre os quais, Adriano Pânico, invadiram uma casa vizinha, após fugir pelo muro dos fundos da casa, e fizeram duas pessoas reféns para fugir no carro da família. Houve perseguição policial pela cidade de Marabá.
Durante a fuga, os bandidos liberaram os reféns e seguiram no carro roubado até as margens do rio Itacaiúnas, onde abandonaram o carro e fizeram um barqueiro refém para atravessar o rio. Depois de chegar ao outro lado do rio, eles liberaram o barqueiro e se embrenharam nas matas. Com o andamento das investigações, a Polícia Civil passou a investigar o paradeiro dos envolvidos no crime. Na noite de domingo, equipes da DRCO e da DRFR abordaram o carro onde estava o maranhense. 
Adriano Brandão é fugitivo do presídio de Pedrinhas, no Maranhão, e tem três ordens judiciais de prisão por assaltos a carros-fortes em Marabá no Pará; no Maranhão e no Tocantins. O grupo de assaltantes do qual faz parte Adriano Brandão também tem envolvimento no ataque a carros-fortes ocorridos, há cerca de um mês, em Alto Alegre, no Maranhão, e, em fevereiro deste no, no interior do Estado do Piauí. Ele chegou a passar dez anos preso no Pará, por envolvimento em roubo a banco na modalidade conhecida como "vapor" ou "novo cangaço", em Tucuruí. Ao voltar à liberdade, ele passou a atuar em roubos a carros-fortes.
Fonte PC-Pa

URUARÁ. TEM JEITO . SÓ NÃO TEM PREFEITO!

Não é difícil asfalta as ruas da cidade.
Não é difícil calçá as ruas e vielas da cidade.
O problema é que tem vereador que se vende a uma mixaria. E 4 anos depois ele aparece querendo
seu voto. O problema é que todos que já entraram aqui . desde da emancipação política da cidade . só vem levar as riquíssima furtunas que entra no município. São candidatos de naturalidade sul e sudeste do país. Então estão aqui só pra política mesmo. E nada de morrer aqui . pois é de natureza de forasteiros mostrar pra seus estados naturais .que eles são prefeito do interior do pará. 
Se quiser fazer algo por Uruará eles fazem. Mais ta ir o problema. Uruará fica distante da capital e tem difícil acesso por terra .
A CGU . controladoria geral da união 
Tem difícil acesso ao município e sem falar que vereador e a população não fazem denúncia. as precária condições da cidade. E isso facilita tanto o prefeito quanto os vereadores do município.
Ou seja . quem teria coragem de denunciar um prefeito ao ministério público
Cada ruas largas e bonita de mão dupla
Na cidade . quando ah chuvas ficam buracos nas ruas e tem difícil acesso.
E quando as chuvas dão tréguas. Vem as poeiras . dando mal está as criança . e prejudicando a nossa saúde .
4 anos vai passar. E todos vem pedir seu voto.
É você que decide o que você quer pra Uruará . a mesma coisa . ou mudança .
Asfalto já!
Texto extraido de:‎Uruará É De Todos nós


CASAL E ENCONTRADO MORTOS EM UMA ESTRADA NA ZONAL RURAL DE URUARÁ.

Na Manhã desse Sábado (21/04/2018), Por Volta das 10:00hrs, a Polícia Cívil do Município de Uruará, foi Informada de Um duplo homicídio que Aconteceu no Km 140, em Uma Área Rural da Vila Alvorada . As Vítimas São Um Casal que aparentemente foram emboscados e alvejados a Tiros de espingarda Calibre 12.
O Rapaz de Pré Nome Cleiton e Sabrina Xavier, foram encontrados Mortos Perto da Motocicleta que eles estavam, Cleiton Segundo Informações da Polícia era Suspeito de ter Matado Um outro indivíduo a facadas há Pouco tempo.
A Equipe de Policiais Civis estiveram no local da Cena realizando os Procedimentos e Investiga o Caso. Os Corpos das Vítimas, foram encaminhados Para o Necrotério do Hospital Municipal onde serão posteriormente transferidos para o Iml em Altamira para exames cadavérica.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Servidores da Ciretran de Uruará aderem à greve; serviços de vistoria são suspensos

Nas Ciretrans de Oriximiná, Almeirim, Breves, e 
Uruará os serviços de vistoria também foram suspensos.
Servidores da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), unidade do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), em Santarém, oeste do Pará, adeririam nesta quinta-feira (19) à greve da categoria que já persiste há sete dias na capital. A paralização é por tempo indeterminado.
Durante o dia, alguns servidores tentaram realizar seus serviços normalmente, porém área de vistoria suspendeu todas as atividades, o que impossibilitou que outros serviços fossem executados.
Nas Ciretrans de Oriximiná, Almeirim, Breves, e Uruará o setor de vistoria também suspendeu as atividades.
Reivindicações
A categoria pede o fim da terceirização e investimento na estrutura pública em todas as unidades de atendimento do estado; que seja realizado concurso público para o preenchimento de 800 vagas no órgão, e adicional de insalubridade para os servidores do setor de vistoria.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

CAVANHAQUE PATINA NAS PESQUISAS E ACENDE A LUZ VERMELHA NO MDB.

Helder deixou o Ministério da Integração Nacional, um mês antes de completar dois (02) anos à frente de um dos principais ministérios do governo de Michel Temer, onde teve recursos e poder suficiente para tornar-se uma espécie de embaixador do Pará em Brasília, tendo aval para inaugurar obras, representar outros ministros em eventos e na liberação de recursos, muitos destes efetivados e outros ainda aguardando liberação orçamentária.
Seu empenho em prol do Estado do Pará rendeu-lhe críticas da mídia nacional, que levantou sua vida, seu envolvimento com a Odebrecht e sua regalias enquanto ministro, mas mesmo assim Helder não mediu esforços para beneficiar o Estado que pretende governar.
No entanto, analistas políticos de diversas áreas profissionais e matrizes políticas fecham consenso em reconhecer que mesmo com todos os esforços e recursos empregados na divulgação de suas ações, inclusive pelos poderosos veículos de comunicação de sua família, Helder não consegue decolar nas pesquisas eleitorais e segue estagnado na casa dos 30% de todas as aferições feitas com seu nome.

GARAPÉ MIRI: Prefeito do município é afastado por improbidade administrativa

O Juiz de Igarapé Miri Lauro Alexandrino Santos, acatou pedido do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do Promotor de Justiça Daniel Menezes Barros, e determinou o afastamento do prefeito de Igarapé Miri Rónelio Antônio Rodrigues Quaresma, e do Secretário Municipal de Educação do município, Raimundo Barbosa Melo. O juiz acatou o pedido devido às provas apresentadas pelo MPPA a partir de denúncias de servidores municipais os quais relataram atrasos nos salários. Além disso, familiares de alunos das escolas municipais reclamaram da falta de aulas e, por consequência, atraso no ano letivo, devido ao não pagamento dos professores.
Após investigações, foi constatado que a principal causa dos atrasos se deve a contratação de uma grande quantidade de servidores temporários pelo município, sendo que tal ação não se fazia necessária. Segundo consta em registro no Setor de Contabilidade da Prefeitura Municipal de pagamento de remunerações, em janeiro de 2017, havia 117 servidores temporários, que somavam despesa bruta mensal de R$ 224. 403, 73. Já em junho do mesmo ano, havia um total de 1.206 servidores temporários que somavam uma renda bruta de R$ 1.896, 624,23.
Devido ao inchaço da folha de pagamento a prefeitura apresentou dificuldades em pagar os salários dos servidores efetivos e liquidar as verbas alimentares do funcionalismo público municipal. Ao perceberem o que estava acontecendo, a gestão municipal optou pela demissão de muitos servidores contratados. Além disso, como forma de tentar burlar a lei, os contratos assinados foram destruídos numa tentativa de extinguir tais vínculos. De acordo com as investigações do Ministério Público, após essa dispensa, houve uma tentativa da Secretária de Educação de realocar os professores concursados para outras escolas, porém grande parte não aceitou a proposta.
Em sua sentença, o juíz Lauri Alenxadrino destaca que “diante dos fatos retirados do relatório apresentados junto a promotoria, em consonância com as investigações realizadas, fica claro os atos de improbidade administrativa praticados pelos requeridos, que se utilizaram da máquina pública com o objetivo de angariar votos, nomeando apadrinhados políticos com verdadeira desídia do patrimônio público”, afirma.
O juiz Lauro Alexandrino determinou ainda a quebra de sigilo fiscal e bancários de ambos os réus no período de janeiro de 2016 a dezembro de 2017. Além de bloqueio dos bens dos mesmos, como imóveis e veículos.
O Promotor de Justiça, Daniel Barros, requereu ainda a devolução aos cofres públicos de quase 5 milhões de reais.
Operação Iaçã (foto): Em novembro de 2017, a PJ de Igarapé Miri realizou a operação Iaçã, que fez busca e apreensão aos prédios da prefeitura e Secretarias de Saúde, Educação e de Administração e Finanças. O MPPA investigava possíveis irregularidades e fraudes em licitações, com direcionamento de contratações, além do excesso de servidores temporários nos quadros.
Texto: Assessoria de Comunicação

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Vídeos e extratos bancários comprovam extorsão e assédio cometidos por padre Amaro em Anapú

O Impacto teve acesso exclusivo ao depoimento do religioso; acompanhe.
Preso preventivamente desde o dia 27 de março, o padre José Amaro Lopes de Sousa, do município de Anapú, oeste do Pará, é acusado de associação criminosa, esbulho possessório, ameaça, extorsão, constrangimento ilegal, assédio e lavagem de dinheiro.
A investigação realizada pela Polícia Civil, ao contrário do que alega a defesa do religioso – que dizem não existirem provas contundentes-, reúne uma série incontestável de provas, que demonstram o modus operandi do Padre Amaro.
Documentos diversos, entre eles: extratos bancários, depoimentos, mensagens via aplicativo de celular, fotos e vídeos estão no bojo do inquérito policial, que resultou na “Operação Eça de Queiroz”.
Em seu depoimento ao delegado titular da delegacia de Anapú, Rubens Mattoso Ribeiro, cujo O Impacto teve acesso exclusivo, padre Amaro negou os crimes.
Contudo, para a polícia está evidenciado os diversos crimes praticados pelo religioso. Como exemplo, cita-se a pratica de extorsão, onde segundo apontou a investigação, o padre extorquia suas possíveis vítimas, a pagarem uma quantia em dinheiro para que suas propriedades não fossem invadidas. No inquérito remetido à Justiça, constam comprovantes de depósitos bancários nos valores de 10 mil, 7 mil, 4 mil e 3 mil reais em contas bancárias ligadas ao padre, inclusive de sua irmã, Maria Célia Lopes de Sousa.
CRIMES SEXUAIS: Os procedimentos investigativos apontam que o religioso estabeleceu uma rede de crimes contra a dignidade sexual; onde o mesmo ameaçava as vítimas, caso não atendessem suas solicitações de cunho sexual, teriam os lotes de terra invadidos.
Uma das supostas vítimas entregou à polícia, um vídeo contendo cenas de sexo com padre Amaro. Também diversas mensagens, onde o religioso solicita fotos de partes íntimas da vítima.
Porém, ao ser confrontado com apresentação do vídeo, onde ele aparece em cenas de sexo com uma pessoa, o religioso confirmou à autoridade policial que realmente o fato aconteceu em seu quarto, mas alegou que teria sido constrangido e ameaçado com uma arma de fogo e uma faca, a realizar sexo oral.
Padre Amaro afirmou que a suposta vítima, queria vender dois lotes de terra pública, e por não concordar com tal pratica, o mesmo passou a constrangê-lo.
Ainda conforme relata o religioso, a pessoa que o teria obrigado ao ato sexual, disse que teria recebido uma proposta de R$ 80.000,00 para matá-lo. Sendo que o mesmo lhe obrigou a praticar sexo oral para que não o matasse.
A versão do Padre Amaro, segundo a autoridade policial, não se sustenta. Primeiramente pelas diversas provas que constam no auto; segundo pelo fato dele, ser reconhecidamente um líder comunitário que realiza denúncias, por que não o fez deste?
JUSTIÇA NEGA REVOGAÇÃO DE PRISÃO: No dia 11 de abril, Juiz de Direito, Esdras Murta Bispo, que está respondendo pela Vara Única de Anapú, indeferiu o pedido de revogação de prisão preventiva imposta pela defesa do Padre Amaro.
Na decisão, o magistrado ressalta que o minucioso trabalho investigativo realizado pela Polícia Civil, reuniu provas que confrontam com a alegação da defesa quando requereu à Justiça a revogação da prisão preventiva.
“A defesa traz alegações que tentam desconstituir os documentos, vídeos, registros fotográficos, áudios, e oitivas colhidos no decorrer das investigações sem apontar ilegalidade flagrante que os contamine de ilicitude ou que afaste a presunção de veracidade que deles defluem. Os fatos sustentados pela Autoridade Policial e que deram causa à representação pela medida cautelar estão amparados em amplo contexto probatório”, afirmou o magistrado.
Para Dr. Esdras Murta Bispo, as provas nos autos constam de vários registros de como: boletins de ocorrência policial, registros fotográficos, comprovantes de depósitos em conta bancária de pessoas ligadas ao investigado, registros de diálogos no aplicativo WhatsApp, vídeos, imagens, documentos, áudios e perícia técnica.
“Logo, as alegações da defesa são insuficientes para demonstrar ilegalidade flagrante tendente a subtrair a legalidade e legitimidade dos elementos colhidos pela Polícia Judiciária Civil”, argumentou o Juiz, ao indeferir a solicitação da defesa de Padre Amaro.
RG 15 / O Impacto

Vereador Mano Dadai do PRTB é preso em nova Fase da Operação Perfuga em Santarém

Mano Dadai era inclusive suplente de Reginaldo Campos, do qual vinha exercendo a vaga após do ex-vereador que também foi preso pela operaçãoO vereador Mano Dadai (PRTB) e sua ex-esposa foram presos na manhã de hoje, 18, em nova fase da operação Perfuga em Santarém. 
Os dois foram assessores do ex-presidente da Câmara de Vereadores Reginaldo Campos (PSC), apontado como chefe da Perfuga.
Por telefone tentamos manter com seus assessores e advogados, porém não tivemos exitos. Ainda hoje, mais informações sobre a prisão do vereador.
Nesse momento ele ainda se encontra na delegacia de Polícia prestando esclarecimentos nos tramites legais. Mano Dadai, vereador e ex-assessor de Reginaldo Campos