quinta-feira, 30 de junho de 2016

PF desarticula quadrilha especializada em desmatamento e grilagem no PA

Polícia Federal, MPF, Receita e Ibama deflagram ação nesta quinta-feira, 30.
Operação Rios Voadores ocorre no sudoeste do Pará, MT, MS, SP e S
Uma operação denominada "Rios Voadores" desarticula na manhã desta quinta-feira (30) uma organização criminosa especializada em desmatamento ilegal e grilagem de terras públicas federais no Estado do Pará. A ação é conjunta com o Ministério Público Federal, Receita Federal e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e ocorre no distrito de Castelo dos Sonhos, em Altamira, no sudoeste do Pará, Novo Progresso, na mesma região paraense e ainda em São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
Foram expedidos pela Justiça Federal deAltamirax 51 medidas judiciais restritivas de direito, sendo 24 prisões preventivas, 9 conduções coercitivas e 18 mandados de busca e apreensão em empresas e casas pertencentes aos investigados.
De acordo com a Polícia Federal, o objetivo da quadrilha era o desenvolvimento de atividade econômica agropecuária, após arredamento das terras usurpadas. Os principais investigados e beneficiados com a prática criminosa eram protegidos por outros membros da organização que serviam como “testas de ferro”.
Mediante a falsificação de documentos e outras fraudes, estas pessoas de confiança assumiam a propriedade da terra grilada por seus “patrões”, chegando a admitir a prática de crimes ambientais, preservando o nome dos reais autores da conduta, quando flagrados em fiscalizações do Ibama.
Desmatamento
Segundo laudo pericial da Polícia Federal, de apenas um dos delitos ambientais investigados foram
desmatados 9 mil hectares, o equivalente a 8.346 campos de futebol, no período de junho de 2013 até novembro de 2015. Os prejuízos ambientais relacionados à exploração seletiva ilegal de madeira, conversão do uso do solo ilegal e custo de restauração ambiental ficaram orçados em, pelo menos, R$ 162 milhões.
De acordo com a Receita Federal, a organização criminosa, por meio de pessoas físicas e jurídicas, movimentou mais de R$ 1 bilhão entre os anos de 2012 e 2015, sendo grande parte de origem ilícita ou incompatível com os rendimentos dos titulares das contas.
Investigação
No decorrer de quase dois anos de investigação, a PF chegou à conclusão que a organização criminosa é composta por uma rede de pessoas, estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas.
A quadrilha estruturava-se em quatro núcleos: núcleo operacional, que executava o desmatamento; núcleo referente aos agentes que compram terras desmatadas ilegalmente; núcleo financeiro, que financiava o desmatamento e núcleo familiar, de dissimulação das vantagens econômicas obtidas.
Organizados, eles praticavam o desmatamento ilegal e grilagem de terras públicas federais na Amazônia, para a criação de gado e plantação de soja. G1-Pa

quarta-feira, 29 de junho de 2016

CRIANÇA DE 06 MESES É ESFAQUEADA PELO PRÓPRIO PAI EM URUARÁ

Breno Coutinho
O acontecido ocorreu por volta das 21:00, onde Breno Coutinho da Silva esfaqueou seu Filho de 06 meses na barriga. Segundo informações policias Breno chegou em sua casa embriagado e começou uma briga com sua esposa, onde dentou contra a vida de sua mulher com uma faca, vindo a acertar seu filho que estava no colo da mesma. Apos o acontecido Breno se evadiu sem destino onde a policia foi acionada, mas não localizou o agressor.
Diante da gravidade o Bebe foi encaminhado para o Hospital Regional de Altamira por volta das 23:00 dessa quarta Feira, onde segundo informações a deslocação para Altamira foi tranquila, onde o estado de saúde do bebe esta estável. Segundo o delegado de Policia Civil de Uruará Wilson, se Breno não se apresentar na delegacia, sera solicitado na justiça sua prisão preventiva.

*****CRIANÇA DE 06 MESES É ESFAQUEADA PELO PRÓPRIO PAI EM URUARÁ**
O acontecido ocorreu por volta das  21:00, onde  Breno Coutinho da Silva esfaqueou seu Filho de 06 meses na barriga. O estado do Bebe é grave e esta sendo encaminhado para o Hospital Regional de Altamira. LOGO MAIS ATUALIZAREMOS AS INFORMAÇÕES.

Polícias Civil e Militar desarticulam associação criminosa envolvida em roubos a bancos e arrombamentos de caixas eletrônicos no Pará

As Polícias Civil e Militar cumpriram, nesta terça-feira (28), 13 mandados de prisão preventiva de pessoas acusadas de envolvimento em uma associação criminosa responsável por roubos a agências bancárias e arrombamentos de caixas eletrônicos no Pará. Denominada de "Cruz de Malta", a operação foi deflagrada, durante madrugada, por cerca de 20 policiais civis e militares em Belém; nas cidades de Ananindeua e Marituba, situadas na região metropolitana, e em Concórdia do Pará, Castanhal, Santa Izabel do Pará e Moju, nordeste do Estado. Sob coordenação da Diretoria de Polícia Especializada (DPE) e operacionalizada pela Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), a ação policial foi resultado de seis meses de investigações. As informações foram apresentadas em entrevista coletiva a jornalistas, na Delegacia-Geral, em Belém.
Estiveram presentes o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen; o delegado-geral, Rilmar Firmino; o diretor de Polícia Especializada, delegado Silvio Maués; coronel Sergio Alonso, chefe do Departamento Geral de Operações da PM; e os delegados André Costa e Tiago Belieny, da DRCO. 
O grupo é acusado de praticar, pelo menos, 12 ações criminosas contra instituições bancárias, como assaltos e furtos com arrombamentos de caixas eletrônicos. As investigações apontaram o envolvimento de policiais militares nas ações criminosas. 
Foram presos, durante a operação, Rui Ferreira Pantoja, de apelido "Canela Fina"; Laurimar Ribeiro de Arruda, de apelidos "Boca Podre" ou "Vadio"; Elenilton Gomes de Lima, conhecido como "Lorin", e Gerson Alfaia Reis, de apelido "Gê", acusados de envolvimento direto nos assaltos. Os policiais prenderam os cabos da PM Fabrício José Vasconcelos, conhecido como "Vasco" ou "Vascão"; Waldecy Oliveira Ferreira e Giovani Ferreira Pinto. Outro preso, Leonardo Cezário da Silva, de apelido "Playboy", é ex-policial militar, expulso da corporação. Os outros presos são a funcionária do Fórum de Moju, Gilmara Diniz Pastana; o empresário Claudionor Ferreira de Araújo, de apelido "Paraíba"; Jacqueline Reis Vieira, mulher de "Vasco"; Edimilson Vieira de Sousa e o empresário José Edivan Amorim Campos, acusados de dar apoio logístico ao grupo criminoso. Um empresário está foragido. 
De acordo com o delegado André Costa, as investigações foram iniciadas em 4 de janeiro deste ano, quando um grupo formado por oito homens armados com fuzis e pistolas invadiu uma agência do Banpará, em Concórdia do Pará, na modalidade de assalto conhecida como "novo cangaço" ou "vapor". Na ocasião, explica o delegado, chamou a atenção da equipe de policiais civis, durante as investigações, a facilidade com os assaltantes tiveram para entrar e sair da cidade, sem reação alguma por parte de policiais militares.
Ainda, no início deste ano, no dia 26 de janeiro, foi registrado outro assalto a banco, desta vez, em Nova Esperança do Piriá, onde seis homens invadiram a agência do Bradesco na mesma modalidade de roubo. Outro assalto a banco com envolvimento do grupo, conforme as investigações, foi o ocorrido em Moju, em março deste ano, quando, na fuga, houve troca de tiros com policiais civis e militares. Seis assaltantes morreram e um casal foi preso. Foram apreendidas oito armas, como pistolas, fuzil e submetralhadora. Com o aprofundamento das investigações, os policiais civis chegaram ao nome de Fabrício Vasconcelos, considerado o principal articulador dos assaltos e um dos integrantes do núcleo de apoio da associação criminosa. "Ele eram que arregimentava outros policiais militares a sair do local do assalto durante a ocorrência", explica. 
Além dos assaltos na modalidade "novo cangaço", eles também são apontados por envolvimento em três casos de arrombamento de equipamentos de caixa eletrônico com uso de maçarico registrados este ano. Dois caixas arrombados estavam em duas farmácias, no distrito de Icoaraci. Em outro caso, houve ação de assaltantes, que renderam o vigilante da sede da Defensoria Pública, em Belém, e arrombaram o caixa eletrônico no local. O delegado-geral salientou o trabalho desempenhado pelo Sistema de Segurança Pública para combater os maus policiais. "Não podemos mais tolerar os desvios de conduta dentro dos quadros das Polícias no Estado", ressalta. Nos últimos cinco anos, 58 policiais civis, dos quais 11 delegados e 47 policiais de outros cargos, foram demitidos a bem do serviço público. Os policiais militares presos estão recolhidos no presídio Coronel Anastácio das Neves e os demais em outras unidades prisionais do Estado.
PRESOS Dentre os presos, está Rui Ferreira Pantoja, primo de um dos assaltantes mortos em confronto com policiais em Moju, em março deste ano. Claudionor Ferreira de Araújo é empresário, dono de um frigorífico e de um açougue, em Moju, e ainda de uma fazenda, no mesmo município. Ele era investigado desde um assalto a um carro-forte, em 2014, na PA-150, trecho entre Tailândia e Moju, no nordeste do Pará, acusado de aguardar as armas dos assaltantes em sua propriedade, em Moju, onde também alojava os bandidos e fornecia alimentação aos criminosos. Rui Pantoja é irmão de dois assaltantes de banco já conhecidos das Polícias. Laurimar Arruda, que participou ativamente do assalto a banco, em Concórdia do Pará, no início deste ano, já era conhecido das Polícias por ter sido preso por envolvimento em assaltos a bancos, como em Garrafão do Norte, e na tentativa de assalto a um ônibus de turismo que seguia para Fortaleza, no Ceará, em 2013, e que foi evitado por policiais civis do GPE (Grupo de Pronto-Emprego), grupamento tático da Polícia Civil.

O preso Elenilton Gomes de Lima participou, em 2012, dos assaltos simultâneos de dois bancos, em Novo Repartimento, sudeste do Pará. Ele atuou ativamente nas três ocorrências de assaltos a bancos, na modalidade "novo cangaço", em Concórdia do Pará, Nova Esperança do Piriá e Moju. O preso "Gê" já atuou, em Belém, em assaltos na modalidade "saidinha bancária", e com o tempo, passou a praticar esse tipo de assalto fora do Pará. Ele se juntou a Rui Pantoja, a quem conheceu no Maranhão, e desse Estado vieram inicialmente a Concórdia do Pará, no início deste ano, para assaltar o banco da cidade. Dentre os presos apontados por envolvimento no núcleo de apoio dos assaltantes está a funcionária pública do Fórum de Moju, Gilmara Diniz Pastana.
Segundo o delegado André Costa, a função dele era a de tomar conhecimento de qualquer medida cautelar, como pedidos de prisão, por exemplo, requisitada pela Polícia Civil junto ao juiz do município contra integrantes da associação criminosa. "Na primeira prisão em Moju, quando solicitamos a prisão preventiva de envolvidos imediatamente ela avisou a todos os familiares e os comparsas para que saíssem da cidade", explica. Ela também é acusada de repassar a criminosos recolhidos em presídios telefones celulares escondidos no corpo.

Ela é namorada do criminoso Edson Nunes Leal, de apelido "Iô-Iô", irmão de um dos assaltantes mortos em Moju. A outra mulher presa, Jacqueline Vieira, é esposa do cabo Fabrício Vasconcelos e acusada de receber as mulheres dos comparsas, dar comida e remédios, e dirigir o carro do militar para transportar as armas usadas nos assaltos. Já Waldecy é acusado de ajudar na fuga de dois assaltantes em Concórdia do Pará e de guardar um dos fuzis usados no assalto. Edimilson Sousa levava comida aos bandidos no esconderijo em Concórdia do Pará e avisar da presença da Polícia na cidade.
Tem dois empresários foragidos acusados de fomentar as ações criminosas, por meio de financiamento em dinheiro para comprar carros e pagar viagens aos bandidos, que lhes pagavam com o dinheiro roubado dos bancos. Um dos empresários é José Edvan, dono de uma concessionária de carros em Castanhal. O outro empresário não teve o nome divulgado. A operação contou com apoio do GPE da Polícia Civil, da Superintendência de Castanhal, da Companhia de Operações Especiais (COE) e das Corregedorias das Polícias Civil e Militar, e apoio do juiz da Comarca de Concórdia do Pará.
MILITARES Já o cabo Giovani é acusado de sair do município de Concórdia do Pará, em janeiro deste ano, no momento da ação criminosa, sob alegação de fazer um abastecimento no veículo. Fabrício Vasconcelos atualmente estava lotado no presídio CRCast (Centro de Recuperação Regional de Castanhal), onde mantinha contato com criminosos. Leonardo é acusado de atuar no roubo na Defensoria Pública, em Belém. "Ele se vestiu de policial militar para abordar o vigilante", detalha. Ao ser preso, ele estava com uma pistola calibre .380 e assim foi autuado em flagrante pelo posse ilegal de arma de fogo. Durante as investigações, a Polícia Civil interceptou conversas telefônicas em que Leonardo e Rui Pantoja, um dos presos na operação, fazem ameaças de morte um ao outro, pois o ex-PM suspeitava de que Rui havia arrombado outro caixa eletrônico, situada no prédio do Incra, em Belém, no mesmo dia da ação criminosa na Defensoria Pública, e ficado com todo o dinheiro sem repassar a parte que lhe cabia no esquema. Com informações Pc-Pa.

Crise Politica e econômica provoca explosão na oferta de Aluguel em Pontos comercial em Uruará.

Quem passa pelas principais avenidas e Ruas da cidade de Uruará certamente não encontra dificuldade para avistar placas com os dizeres “aluga-se”. A oferta no mercado imobiliário comercial está cada vez maior e esse é um dos reflexos da crise politica e econômica que afeta a cidade de
Uruará e o País. Nunca na historia do município de Uruará a oferta de pontos para alugar foi tamanha, pois a tempos atrás a demanda era grande, onde dificilmente era fácil encontrar um ponto ou casa para alugar no município de Uruará.
Em um breve levantamento foi encontrado mais de 30 pontos comercial com placa de Aluguel na cidade de Uruará, fora dezenas de casas espalhadas pela cidade. Diante de uma administração publica fracassada, onde nada funciona, setor madeireiro em decadência, onde em 2015, Uruará e região viveu a mais intensa seca das últimas décadas, principalmente os Municípios de Placas e Uruará. A seca prolongada resultou na queda da produção de Cacau, pastagem reduzida, onde ate mesmo criadores de gado tiveram grande prejuízos em seus rebanhos, com muita mortes de animais por falta de água. O comercio local vem amargando muitos prejuízos no decorrer dos últimos anos, diante disso muita gente tem procurado outras cidades, causando um grande transtorno para que tem seus investimentos na cidade.  A desvalorização dos patrimônios esta assolando os Uruaraenses, onde vender algo esta quase impossível. Diante da  situação critica que atravessa o municio de Uruará a população não tem perspectiva de dias melhores, onde nenhum investimento esta a caminho, Gestão publica esta em colapso, prefeitura de Uruará em constante demissões de funcionários, cortes salariais, retirada de gratificações, enfim, Uruará esta no fundo do poço!

Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

terça-feira, 28 de junho de 2016

POLICIA PRENDE ACUSADO DE ASSASSINAR AGRICULTOR NO KM 175 NORTE.

A policia prendeu no inicio dessa tarde de Terça Feira, Luan Pantoja da Silva, acusado de assassinar na noite desse Domingo, Mario Cesar Sousa Bispo 39 anos com um tiro de espingarda calibre 20.O crime aconteceu na vicinal do Km 175 Norte a uns 13 Km em uma fazenda.
Os investigadores Silvio Alex e Alexandre sob o comando do Delegado Wilson Damascena realizaram realizaram a prisão de Luar que apos o crime se evadiu. Luan esta recolhido da Delegacia de policia Civil de Uruará a disposição da justiça.




segunda-feira, 27 de junho de 2016

Homicídio acontece na noite desse Domingo na zona Rural de Uruará

Na noite desse Domingo por volta das 22:00 hr um assassinato aconteceu no município de Uruará, a vitima: Mario Cesar Sousa Bispo 39 anos foi executado com um tiro de espingarda calibre 20.O crime aconteceu na vicinal do Km 175 Norte a uns 13 Km em uma fazenda. Os investigadores Silvio Alex e Alexandre sob o comando do Delegado Wilson Damascena realizaram diligencia para o local do crime.
Segundo informações da policia, Luan Pantoja da Silva foi a pessoa que assassinou Mario, onde após uma discussão, o autor pegou uma espingarda e desferiu 01 disparo contra a vítima, acertando em seu pescoço, causando a morte no local do acontecido.
De acordo com depoimento de pessoas que conhecia à vítima, Mario quando bebia ficava muito agressiva e valente. O autor após os fatos evadiu-se do local.

PREFEITO DE VITORIA ACABA DE SER AFASTADO DO CARGO

As Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Pará, acaba de julgar e condenar o prefeito de
Vitoria do Xingu, Erivando do Amaral, foi condenado por unanimidade a 8 anos e 8 meses, com afastamento imediato das funções de Prefeito de Vitoria.
Nessa condenação, o prefeito foi acusado por diversos vereadores do município de ter fraudado suas assinaturas, para embolsar suas diárias. Erivando Amaral (PSB) na época era presidente da Câmaras Municipal e os vereadores acusaram de simulava viagens dos vereadores de Vitória do Xingu para Belém. Mas os vereadores nunca viajaram a serviço da Câmara relata da denúncia.
Na época o escândalo ficou conhecido o "esquema do paletó" já que vereadores não viaja só seus paletós. Alem desse processo, ainda ha vários em andamento no Tribunal. Oficial de justiça vai notificar pela condenação, que cabe recurso ao STJ.
VEJA LOGO MAIS: HOMEM É ASSASSINADO COM TIRO DE ESPINGARDA 20 NA VICINAL DO KM 175.

sábado, 25 de junho de 2016

POLEMICA DA RESERVA INDÍGENA CACHOEIRA SECA CONTINUA

RESERVA CACHOEIRA SECA VIRA MOEDA DE TROCA POR VOTO.
No dia 5 de abril a Presidenta afasta Dilma homologou a demarcação da Terra Indígena (TI) Cachoeira Seca, localizada nos municípios de Uruará e Placas na região oeste do Pará. 
Uma disputa que teve início na década de 1970. O decreto com a decisão, assinado pela presidenta afastada Dilma Rousseff e publicado no Diário Oficial da União de 5 de Abril inclui uma área de 733.688 hectares e beneficia uma população de 105 índios pertencentes ao grupo Arara.
Diante da situação ocorrida uma comissão foi criada no município de Uruará, para discutir o assunto, onde uma ação na justiça esta em andamento, para tentar rever a demarcação. Segundo informações a ação na justiça tem um custo de R$100.000.00( Cem Mil Reais) despesas de Advogados, onde os Prefeitos de Uruará e Placas se comprometeram com R$ 25.000.00 cada, o deputado Estadual Eraldo Pimenta com R$10.000.00. Já o restante que faltam R$ 50.000.00 sera arrecadado entre os agricultores interessado, em doações de bois ou mesmo em dinheiro, onde ate o momento nada ainda foi arrecadado só promessas. 
Em conversa com Carlinho do Sindicato o mesmo destacou que a ação é necessária para da garantia de segurança aos agricultores, pois se nenhuma ação for tomada, as pessoas que la residem, podem sofrer uma reintegração de pose e serem expulso por força policial.
Questionado porque não mover essa ação na justiça federal com advogados da região, Carlinho destacou que é uma ação que necessita de advogados especializado, nesse tipo de processo.
Confrontado porque que diante da situação ficar alimentando esperanças nos agricultores, onde um decreto é quase impossível ser derrubado, ainda mais tratando de uma área que faz parte das condicionantes da obra de Belo Monte! Isso não seria brincar com a inocência desse povo Sofrido? Carlinho rebate que segundo os advogados isso não vai trazer mais transtorno, onde ate mesmo o Ministro da Justiça em Brasília deixou claro que a comissão precisa mostrar uma contra proposta, onde até o ministro ficou surpreso em saber que existe na área mais de 1.000 famílias, onde a funai em seu processo destaca que a área é terra de grilagem, onde o governo destacado que vai ficar um custo muito alto para o governo federal, para retirada dessa família. Carlinho afirma que é impossível derrubar um decreto mais a intenção é rever o processo.
Segundo levantamento da Fundação Nacional do Índio (Funai), foram identificadas 1.085 ocupações de não indígenas no interior da área, sendo 72% de pequenas propriedades.
A Casa Civil iniciou logo após a pose do presidente interino Michel Temer, um pente-fino em todas as ações do governo da presidente afastada Dilma Rousseff a partir do dia 1° de abril. A data combina exatamente com a publicação de uma série de normas que criaram áreas indígenas e desapropriaram terras, contrariando interesses do setor ruralista. Semanas antes de assumir a Presidência, Michel Temer se reuniu com deputados e senadores ligados ao agronegócio e se comprometeu a rever todas essas medidas.

Novo Progresso - Caso Sgt. João Luiz: 06 pessoas já foram presas

A operação denominada “Urso Branco” que esta sendo realizada por forças policiais no município de Novo Progresso, Oeste do estado, por conta do assassinato do Sgt. João Luiz vem fechando o cerco para capturar Lucas Oliveira que é o principal suspeito de ter matado o sargento.
Já foram presas várias pessoas que teriam contato direto ou através de terceiros com Lucas Oliveira, que seria um elemento de alta periculosidade, inclusive já teria matado uma pessoa em NP. Lucas é o principal suspeito de ter atirado no sargento João Luiz, ele era o único a andar armado na região de conflito e também era temido pelos companheiros.
Ate agora 06 pessoas foram presas: Rayllane Gonçalves Silva, (que seria companheira de Lucas); Ivan o “Pastor”; Zé Índio; Keila; “De menor” e Darlan. Rayllane e “Pastor” estavam na mata com Lucas quando o sargento foi morto, outros presos estariam preparando a logística para dar fuga a Lucas, que segundo informações da policia pode estar na mata ainda, e a prisão do mesmo seria uma questão de tempo. As equipes de policiais estão na região dia e noite, alguns se revezando e fazendo barreiras nas estradas e vicinais.
Policiais Civis e militares de Novo Progresso; Itaituba; Santarém e Belém estão na região. O superintendente da Policia Civil do Tapajós Delegado Vicente Gomes esta no município acompanhando de perto os trabalhos. O comandante do CPR-X Coronel Roberto esta sendo informado diariamente das ações realizadas em busca de Lucas. Segundo o Coronel os militares só irão sair do local quando capturarem o assassino do sargento. Fonte: Junior Ribeiro

quinta-feira, 23 de junho de 2016

PERSONALIDADE DO ESTADO DO PARA GERA POLEMICA EM URUARÁ.

Uma polemica montagem distribuída nas redes sociais onde descava que o prefeito de Uruará
Imagem montada 
Everton Banha estava entre os 50 personalidades do estado do Para, onde gerou muita polemica.
A montagem  aparecia como se o prefeito Banha tivesse sido eleito uma das 50 Personalidades mais Influentes do Pará que é organizada pelos apresentador Bacana na RBA TV da família Barbalhos.
Segundo o organizados  do evento o nome do prefeito de Uruará sequer apareceu entre os 416 nomes que concorreram. Fizeram uma montagem e divulgam que o ilustre desconhecido estava no livro da personalidade Paraense. 
Banha, para as mais de 300 mil pessoas de todo o estado que votaram e escolheram as personalidades continua um ilustríssimo desconhecido afirma o organizador do Evento. 
O Personalidade mais influentes do Pará, é segmentado em categorias, a publicação destaca para o mercado paraense, as pessoas mais influentes do ano anterior. Trabalhos de destaques, políticos, empresários que fizeram a diferença e contribuíram para o Estado.
Diferente das outras premiações, o Bacana quem escolhe e as pessoas que vê os nomes dos contemplados por sua notoriedade no Blog do Bacana e votam. A preocupação é que esta escolha seja feita pelo povo do nosso Estado, que acompanha ano a ano as mudanças do Pará. Que se atualizam sobre quem é notícia e principalmente quem é responsável por desenvolver o estado. Diante de sua falacia o deputado Eraldo Pimenta foi eleito com uma personalidade Paraense, mas com certeza o mesmo tem uma grande personalidade, sendo caloteiro, roubando 3 meses de Salários dos servidores publico Uruaraenses em 2012. Parabéns Deputado grande Personalidade.

DEVAGAR, A JUSTIÇA BRASILEIRA COMEÇA A FAZER SEU PAPEL, CONTRA SAQUEADORES DE DINHEIRO PUBLICO.

A MAIOR QUADRILHA DE ASSALTANTES DE DINHEIRO PUBLICO ESTA ENTRE OS PARTIDOS PMDB E PT.
Quem pretende concorrer aos cargos de prefeito, vice-prefeito ou vereador nas eleições de outubro e
estiver filiados nos partidos PT e PMDB terá contra sua intenção de votos os escândalos que esta acontecendo. Considerados uns dos partidos mais corruptos da historia, PT e PMDB vão sofrer uma grande perda em seus representantes nessa eleição 2016. No município de Uruará diante da situação critica que atravessa a politica Brasileira O PT com toda certeza não terá nenhum representante na câmara municipal muito menos no executivo. Já o PMDB talvez consiga ter 02 vereadores eleito, mas sem chances para o executivo. Fico analisando uns parasitas humanos, que pretendem ingressar no mundo da politica Uruaraenses e fico me perguntando, como alguém tem a cara de pau de dizer que ama a cidade de Uruará e que o bem dos munícipes, sendo financiados por corruptos, ladroes de dinheiros público? Como um marionete humano quer que o município de Uruará saia do fundo do poço apoiando e sendo apoiado, financiado por caloteiro criminosos políticos, onde uma herança politica, foi enraizada no município de Uruará. Isso é pura Hipocrisia, falta de vergonha na cara. Diante de um cenário de podrificação politica, ainda á pessoas que defendem esse corja, onde vejo que esse tipo de pessoa no lugar de cérebro, tem merda...

terça-feira, 21 de junho de 2016

Operação do MP investiga fraudes na Prefeitura de Pacajá

Prefeito e outras oito pessoas são suspeitas de participar de esquema ilegal.
PM cumpre mandados de busca e apreensão ainda em Belém e Parauapebas
O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) deflagrou na manhã desta terça-feira (21) a operação “Camisa de Força”, que investiga fraudes em licitações na Prefeitura de Pacajá, no sudoeste do Pará. O G1 tenta contato com a Prefeitura do município.
Participam da Operação “Camisa de Força” o procurador de Justiça Nelson Medrado (NCIC) e os promotores de Justiça Milton Menezes (Gaeco), Sabrina Daibes (Gaeco), Luis Alberto Presotto (Pacajá), Francisca Suênia Sá (Tucuruí), Adriana Passos (Tucuruí), Amanda Lobato (Tucuruí), Francisco Charles Teixeira (Breu Branco), Guilherme Carvalho (Parauapebas), Carlos Alberto Lopes (Novo Repartimento), Sávio Ramon Silva (Jacundá).
Nove pessoas, entre elas o prefeito da cidade, são apontadas pelo MP como integrantes do esquema criminoso que contava ainda com a participação de 11 empresas, dentre construtoras e postos de combustíveis.
Equipes do Núcleo de Combate à Improbidade Administrativa e Corrupção (NCIC) e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado cumprem mandados de busca e apreensão em 23 alvos, entre eles a casa do prefeito, Secretarias Municipais de Transportes e Administração, a sede do executivo municipal, além de residências e empresas.
Promotores, servidores e policiais militares também procuram documentos em residências e escritórios de contabilidade localizados em Belém e Parauapebas, sudeste do Pará.
As pessoas que tiveram mandado de busca e apreensão deferido pela Justiça são: Antônio Mares Pereira, Anderson de Sousa Pereira, Anfrisio Augusto Nery da Costa, Cleber de Sousa Neves (secretário municipal de transportes), Telvina Madalena Noronha (secretária de administração), Dernival da Silva Lima (professor municipal), Demerval de Oliveira Lima Filho (chefe de gabinete do prefeito), Edvan Sousa Oliveira (tesoureiro da prefeitura), Maria Leonice Carvalho Bento (ex-diretora de compras da prefeitura).
As empresas investigadas pela operação e alvo de busca e apreensão são: BM Veículos, Posto Panorama, JK Construções, JC Construtora, Sobral Construção e Transporte, Auto Posto Bless, Geotop Serviços Topográficos Ltda, Mixx-Sell Comercial Ltda, Construtora Amazônia, Esquadra Construções e Auto Mecânica e Reformadora Turbo.

Celpa alerta que 53 mil famílias podem perder descontos na conta de energia

Beneficiários do Programa Tarifa Social de Energia Elétrica devem atualizar os dados sociais até o final de junho, para não perder o benefício
Cerca de 53 mil famílias em todo o Pará podem deixar de fazer parte do Programa Tarifa Social de Energia Elétrica no final deste mês de junho. O Tarifa Social concede descontos de 10% a 65% na conta de energia e a perda do benefício ocorrerá caso os usuários não atualizem os dados sociais do Cadastro Único (CadÚnico) junto aos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS). De acordo com a Celpa, esses dados devem ser atualizados a cada dois anos pelos beneficiários, até para que continuem usufruindo de outros programas sociais oferecidos à população de baixa renda.
Conforme explica a gestora do processo na Celpa, Ana Paula Barbosa, os cidadãos devem verificar se precisam fazer a atualização do Cadastro Único. “Eles podem fazer isso entrando em contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003. Caso os dados não estejam atualizados, devem procurar o CRAS. Após a atualização, é só entrar em contato com a Celpa por meio do 0800 091 0196 e informar. E se o cliente ainda não for beneficiário e possua o NIS (Número de Identificação Social), ele pode ligar para a central de atendimento da empresa ou ir até uma agência de atendimento da Celpa inscrever-se no Programa Tarifa Social”, orienta. 
A Celpa alerta ainda às famílias que já perderam o benefício, por não terem atualizado seus dados junto ao CRAS, que elas podem recuperá-lo a qualquer tempo. Estes usuários podem procurar o CRAS mais próximo de sua residência para efetivar a atualização cadastral, assim o benefício poderá retornar. É importante lembrar que o benefício virá no ciclo seguinte do cadastro ou da atualização.
A dona de casa Rita Morais, moradora do bairro do Coqueiro, em Ananindeua, é beneficiária do Programa há cinco anos e conta o quanto já foi possível economizar. “Eu lembro que a minha conta de energia vinha muito alta e desde que eu comecei a fazer a parte da Tarifa Social consegui economizar bastante nos gastos aqui de casa. Consigo ter uma economia de uns 30% na minha conta e esse dinheiro dá para usar com outras coisas”, diz Rita.
Segundo dados da Celpa, o benefício da Tarifa Social é capaz de alavancar uma economia de mais de R$ 400 durante o ano. Em uma conta de energia cujo consumo contabilizado seja de 230kW, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Anualmente, isso chega a R$ 514,20. Já em uma família que o consumo é de 123kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, é uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar. 

SERVIÇO

Requisitos para fazer parte do Programa:
- Possuir o NIS (Número de Inscrição Social);
- Data de última atualização cadastral junto ao CRAS deve ser inferior a dois anos;
- O endereço de cadastro do beneficiário do CadÚnico deve estar localizado em um dos municípios do estado do Pará.
Para atualizar os dados e se (re)cadastrar, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel:
Comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

PRAINHA: Justiça decreta indisponibilidade de bens por fraudes em licitações públicas

O Judiciário de Prainha, no oeste do Pará, deferiu medida cautelar requisitada pelo Ministério Público e determinou indisponibilidade de bens no valor de R$ 5.282.001,17 para quatro demandados em ação, incluindo a prefeita do município. A Ação de Improbidade Administrativa foi movida pelo promotor de justiça titular Diego Belchior Ferreira Santana, por conta de fraudes em seis licitações e execução de obras contratadas envolvendo rendas públicas municipais e convênios com o governo do Estado.
A juíza de Direito Karla Cristiane Sampaio Nunes proferiu a decisão no dia 15 de junho. A ACP foi ajuizada em desfavor de Patrícia Barge Haje, prefeita municipal; Alacid dos Santos Pinheiro, Secretário Municipal de Obras, Viação, Saneamento e Urbanismo; Construtora Megacon Ldta.ME., com sede em Santarém, e Francisco Welisson de Aguiar, administrador da empresa.

Fraudes e obras mal executadas

A ACP teve origem em Notícia de Fato instaurada pelo MP de Prainha que apurou, dentre outras denúncias, a existência de fraudes em licitações que resultaram na contratação da empresa Megacon para a execução de obras de recuperação de vicinais, instalação de estruturas metálicas para quadras poliesportivas, asfaltamento de ruas e construção da orla da cidade, que indicavam valores superfaturados e utilização de maquinário e mão de obra da prefeitura, além de uso das instalações do Mercado Municipal como “sede” local da empresa e canteiro de obras.
As investigações demonstraram que os processos licitatórios foram montados e direcionados à contratação da empresa Megacon, com uma série de ilegalidades nos procedimentos: comissão de licitação com mais de um ano de investidura, não observância dos prazos mínimos de publicidade do edital e estabelecimento de prazos de apenas um a dois dias para o comparecimento de interessados aos locais das obras, sob pena de exclusão da licitação, de maneira a frustrar a possibilidade de competição.
Além disso, apesar de ter contratado a execução integral das obras de asfaltamento, o município realizou diretamente, com seus equipamentos e servidores, os serviços de limpeza e terraplanagem. A Construtora somente participou da etapa final de colocação do revestimento asfáltico, fato confirmado por servidores que trabalharam na obra.
Já na construção da orla da cidade, além das ilegalidades da licitação, a empresa usou o Mercado Municipal como apoio dos seus funcionários e depósito de ferragens e equipamentos, de modo a impedir que a população utilizasse o espaço público.
Além da documentação e tomada de depoimentos, o MP promoveu diligências no dia 5 de maio e verificou a existência de maquinário e funcionários da empresa nas dependências do mercado. Também foram percorridas ruas dos bairros Açaizal e São Sebastião, cujo asfaltamento ocorreu neste ano, e constatada a destruição quase completa de algumas vias tão logo iniciou o período chuvoso. Além disso, inúmeros buracos surgiram pouco tempo após a obra.

Pedidos finais para a condenação dos réus

O promotor de justiça Diego Belchior destaca que o valor da indisponibilidade “é um dos maiores já realizados na região oeste do Pará”, e a decisão é de extrema relevância para a comunidade local. Na decisão a juíza afirma que “a confluência de todos os fatores de ilegalidade induzem à conclusão de haver direcionamento das licitações e conluio entre a empresa, seu sócio administrador e os agentes públicos demandados”. E que o sócio “participou ostensivamente das fases e se fez presente nos julgamentos, de maneira que não poderia ignorar o contexto fraudulento”, ressalta.
Nos pedidos finais, o MP requer que sejam impostas aos réus as sanções previstas na Lei n.º 8.429/92, com a condenação no ressarcimento integral do dano no valor de R$ 5.282.001,17; a perda da função pública que esteja exercendo na época da sentença ou cassação do benefício da aposentadoria; suspensão dos direitos políticos; proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente e pagamento de multa civil.

Texto: Lila Bemerguy, de Santarém Com informações da Promotoria de Justiça de Prainha

Acidente grave nessa madrugada na PA 415 com 02 mortes.

Segundo informações um carro de passeio bateu na traseira de uma moto onde vinham Hugo Deleon
e enteada do tio da Vitima, ela tinha 17 anos, a garota morreu na hora. Após a pancada, o condutor do carro causador do acidente foi preso em Vitória do Xingu, já o dono do carro se apresentou na delegacia para prestar depoimento durante a manhã desta segunda (20).
Hugo Deleon de Lima de 33 anos, foi encaminhado para o hospital regional em estado gravíssimo, ele perdeu muito sangue e no início da manhã de ontem, Hugo teve morte cerebral no Hospital Regional Público da Transamazônica.
Em Vitória do Xingu, onde mora a família de Deleon todos estão em choque, Deleon era gerente de uma empresa de transportes com sub sede em Altamira. As causas do acidente ainda devem ser investigadas. Por: Felype Adm

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Legislativo e TCM capacitam gestores em responsabilidade fiscal e questões eleitorais

VEJA ONDE ESTA O NÍVEL DE PODRIDÃO QUE VIVE A POLITICA BRASILEIRA, ONDE UM EX-PREFEITO QUE APLICOU UM MEGA CALOTE NO MUNICÍPIO DE URUARÁ VAI A UM EVENTO DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS, ARROTAR MORALIDADE, É MUITA HIPOCRISIA.
A Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) e o Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCM) promovem, em Altamira, oeste paraense, o evento "Gestão Responsável em Último Ano de Mandato". O objetivo é discutir temas referentes à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e sobre a Lei Eleitoral com prefeitos,vereadores e servidores públicos da região. O evento acontece nesta quarta-feira (15/06) e quinta-feira (16/06). O deputado Eraldo Pimenta e o procurador da Alepa, Augusto Gambôa, esteve representam o Legislativo Paraense no evento. Gambôa ministra, inclusive, a oficina sobre "Aspectos Constitucionais e Legais de Atos Públicos". 
O deputado estadual Eraldo Pimenta e ex-prefeito de Uruará também esteve presente no encontro e elogiou a iniciativa do TCM. "Em um estado gigantesco como o Pará, onde municípios possuem mais de 2 mil quilômetros de estradas vicinais, sendo boa parte administrada pelas prefeituras e outra pelo Incra, que cuida de áreas de assentamentos, esse evento vem esclarecer aos prefeitos a melhor forma de prestar contas seguindo a legislação", concluiu o Ex-prefeito Caloteiro e Deputado estadual.

POLICIAL MILITAR É MORTO A TIROS NO MUNICÍPIO DE NOVO PROGRESSO.

Sargento João Luiz de Maria Pereira, de 45 anos, levou dois tiros quando participava de operação em Novo Progresso. 
O assassinato do 1º sargento da Polícia Militar, João Luiz de Maria Pereira, de 45 anos, ocorrido na última sexta-feira (17) no município de Novo Progresso, sudoeste paraense, já está sendo investigado pela corporação, que abriu um inquérito. João levou dois tiros quando perseguia um suspeito de desmatamento ilegal na zona rural do município durante uma operação conjunta da PM e do Ibama. O militar integrava a Corporação desde 1992 e atualmente comandava uma das equipes do Grupamento Tático Operacional do Comando de Policiamento Regional 10. A Polícia Militar realiza buscas para prender e localizar o homem que atirou contra o militar. A Polícia Militar também informou que está prestando assistência à família. Ainda segundo a polícia, durante a operação, os agentes do Ibama incendiaram um acampamento de madeireiros. No caminho de volta, os agentes ficaram presos em um atoleiro e ao retornarem, surpreenderam um homem no local. O sargento ainda deu voz de prisão ao suspeito que conseguiu fugir. Houve perseguição e o sargento foi atingido por dois tiros. O policial ainda conseguiu voltar e pedir ajuda, mas não resistiu e morreu a caminho da cidade.

ACIDENTE COM VITIMA FATAL NA TRANSAMAZÔNICA .

O acidente aconteceu na manhã desse Sábado dia 18 na BR 230, a 5 Km da Cidade de Uruará. Segundo informações o motorista de uma carro modelo Fiat Uno em Alta velocidade perdeu o controle na curva próxima a entrada do travessão km 175 vindo a se chocar em uma camionete S10. Dangleson de Jesus dos Santos de 24 anos foi socorrido para o Hospital municipal de Uruará mas já chegou sem vida. Segundo informações a vitima era quem dirigia o veiculo, onde diante de poeira a tragedia aconteceu, o pai de Dangleson também ficou gravemente ferido e foi encaminhado para o Hospital Regional de Altamira.Os passageiros da Camionete sairão ileso do acidente apenas danos materiais.


quinta-feira, 16 de junho de 2016

Uruará e outros municípios do oeste sudoeste do Pará ficaram sem energia por 10 horas no próximo Domingo.

No próximo domingo (19), 15 municípios das regiões Oeste e Sudoeste do Pará, atendidos pelo sistema Tramoeste, terão o fornecimento de energia elétrica suspenso por 10 horas ininterruptas, de 6h30 às 16h30.
De acordo com a Eletronorte, o desligamento foi solicitado para atender a ampliação da Subestação Altamira, de responsabilidade da transmissora. E com isso, precisarão ser desligadas 10 subestações da Celpa, afetando os municípios de Altamira, Vitória do Xingú, Medicilândia, Brasil Novo, Senador José Porfírio, Anapú, Uruará, Placas, Itaituba, Rurópolis, Belterra, Trairão e Zonas Rurais dos Municípios de Prainha e Trairão.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

PF cumpre mandado de busca e apreensão em Belterra

Ação é realizada na residência de um ex-servidor e na secretaria de Educação.
A Polícia Federal deflagrou na manhã de 15/06/2016 a operação NOMINAL visando desarticular esquema criminoso de desvio de recursos públicos federais da Educação no município de Belterra/PA.
Cerca de 20 policiais federais dão cumprimento a 04 mandados de busca e apreensão e 03 mandados de condução coercitiva, expedidos pela Justiça Federal de Santarém/PA, em residência de ex-servidor municipal, na Secretaria de Educação e na própria Prefeitura de Belterra/PA.
Os desvios identificados até o momento foram realizados através da emissão de cheques nominais do Conselho Escolar em benefício de servidor da prefeitura de Belterra, em prejuízo do PDDE – Programa Dinheiro Direto na Escola no FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, período de 2012 a 2014.
Com as busca e apreensão de documentos, em complemento às declarações dos envolvidos, pretende-se aprofundar as investigações no sentido de identificar outros participantes da fraude, bem como os valores totais desviados.
Os procedimentos de Polícia Judiciária serão realizados na Delegacia de Polícia Federal em Santarém. Fonte: RG 15/O Impacto

terça-feira, 14 de junho de 2016

Polícia Federal faz operação simultânea em Marabá, Parauapebas e Xinguara para desarticular consórcio criminoso.

A Policia Federal cumpriu, hoje (14), 51 medidas judiciais restritivas de direito, sendo 05 Prisões
Preventivas, 03 Prisões Temporárias, 09 Conduções Coercitivas – quando a pessoa é obrigada a comparecer para prestar informações – e 35 Mandados de Busca e Apreensões em empresas, cartórios, órgãos públicos e secretarias vinculadas às Prefeituras de Marabá/PA, Parauapebas/PA e Xinguara/PA. Ao todo, 150 Policiais Federais, divididos em 37 equipes, cumpriram as determinações judiciais, nas cidades de Belém/PA, Marabá/PA, Parauapebas/PA e Xinguara/PA.
Os suspeitos faziam parte de um consórcio criminoso formado por empresários e servidores públicos montado para a prática de fraudes em licitações públicas de gases nas cidades de Marabá/PA e Parauapebas/PA. As investigações apontam que, em 03 anos, os investigados faturaram mais de 30 Milhões de reais por meio de fraudes em licitações.
Riqueza Fácil – Dentre os bens apreendidos e perdidos pelos criminosos há carros de luxo, aeronaves (aviões e helicópteros), uma lancha avaliada em mais de R$700.000,00 (Setecentos Mil Reais), além de uma fazenda com uma pista de pouso para jatos executivos. O patrimônio foi adquirido a partir do desvio de recursos públicos do Sistema Único de Saúde.
Os Policiais Federais descobriram que os suspeitos fraudavam o caráter competitivo dos certames licitatórios, direcionando as exigências do edital de maneira a favorecer apenas uma das empresas participantes do esquema criminoso. Após a vitória de uma delas, as “perdedoras” eram subcontratadas pela empresa vencedora de maneira que todas, ao final do processo, saíam com um pedaço da fatia do “bolo”, prática essa que encarecia os contratos investigados em mais de 30%. Ao todo, foram analisados cinco procedimentos licitatórios, sendo 02 na cidade de Parauapebas/PA e 03 na cidade de Marabá/PA, entre os anos de 2013 e Os suspeitos também criaram empresas de fachada, algumas registradas em nome de “laranjas”, a fim de dificultar o rastreamento dos reais proprietários. A quantidade de recursos públicos desviados foi tanta que, em um parecer do Conselho Municipal de Saúde da cidade de Parauapebas/PA, esse chegou a afirmar que a quantidade de gases contratada para seis meses daria para abastecer, por um ano, a cidade de Goiânia/GO.
Risco de Morte – Para o sucesso das fraudes, os suspeitos praticaram toda ordem de crimes, desde corrupção de servidores públicos, passando pela falsificação de documentos, fraude na vazão dos gases medicinais destinados aos pacientes dos hospitais investigados, o que pode ter colocado em risco de morte muitos usuários do Sistema Único de Saúde. Houve até ameaças de homicídios entre os envolvidos. Nas investigações, o que chamou a atenção dos Policiais Federais foi o grau de influência do grupo criminoso junto a órgãos e a servidores públicos federais, estaduais e municipais. Os líderes de tal consórcio criminoso e integrantes da associação criminosa faziam gestões junto a diversos servidores públicos de entidades como: Prefeitura Municipal, Ministério Público Estadual, Conselho Regional de Farmácia, Secretaria de Fazenda do Estado do Pará e Cartórios de Registros Públicos, para que tivessem sucesso em suas práticas criminosas.
A PF investiga os crimes de estelionato, associação criminosa, corrupção ativa e passiva, agiotagem – funcionamento irregular de instituição financeira, falsificação de documentos públicos, falsidade ideológica, fraudes em procedimentos licitatórios, dentre outros. Se condenados, os suspeitos podem pegar penas que ultrapassam 30 (trinta) anos de prisão. (Comunicação Social da Polícia Federal em Marabá/PA).Fonte: Portal do Zé Dudu com informações da Comunicação Social da Polícia Federal em Marabá/PA

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Lava Jato e nova lei 'secam' financiamento eleitoral

A campanha eleitoral de 2016 deve ser marcada pela penúria de recursos, graças à combinação de fatores como a crise econômica, a proibição de doações de empresas e o impacto da Operação Lava Jato. Para político e marqueteiros, a previsão de cortes drásticos de custos representa o colapso de um modelo de "mercado" que cresceu sem parar nas últimas três décadas.
Nas eleições municipais de 2012, quase 80% dos gastos foram financiados por empresas. Elas eram também responsáveis por doações significativas aos partidos em anos não eleitorais, mas essa fonte secou mesmo antes da proibição do financiamento empresarial, determinada pelo Supremo Tribunal Federal e acolhida pelo Congresso no fim do ano passado.
Sem o financiamento empresarial, a "tábua de salvação" dos candidatos passou a ser o Fundo Partidário. O problema é que, mesmo "turbinado" com forte injeção de recursos públicos nos últimos dois anos, o fundo será insuficiente para bancar o nível de gastos observado nas eleições passadas.
Em 2016, as legendas receberão, somados, R$ 819 milhões em recursos públicos. Isso equivale a apenas 15% dos quase R$ 5,5 bilhões - em valores corrigidos pela inflação - que foram gastos nas campanhas de 2012. Além disso, nem todo o Fundo Partidário pode ser aplicado nas eleições, já que parte do dinheiro banca despesas permanentes e cotidianas das siglas, como aluguéis, funcionários, viagens de dirigentes e cursos de formação política, entre outros gastos.
Além do fundo, as duas únicas alternativas legais de recursos são o autofinanciamento - que tende a beneficiar os candidatos mais ricos - e as doações dos próprios eleitores.
Há quatro anos, as pessoas físicas bancaram menos de 20% dos custos das campanhas - estão incluídos na conta os recursos dos candidatos que doaram para si próprios. Com a Lava Jato e o desgaste da classe política, ampliar a arrecadação nesse segmento será um desafio para os tesoureiros.
Na eleição municipal de 2012, seis dos dez maiores doadores privados em todo o país eram do setor da construção. Cinco dessas empresas foram arrastada pela Operação Lava Jato: Andrade Gutierrez, OAS, Queiroz Galvão, Carioca Christiani Nielsen e UTC. O presidente de uma grande construtora, que pediu para não ser identificado, disse que o dinheiro do setor "acabou".

Hospital Regional Público da Transamazônica recebe o certificado como ONA 3

A entrega da certificação pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), como ONA 3 - Acreditado com Excelência, ao Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, foi realizada nesta terça-feira, ,07 de junho, em uma cerimônia na unidade de saúde, prestigiada por autoridades estaduais e nacionais. A ONA 3 reconhece a melhoria frequente da gestão, destacando a segurança do paciente e a alta resolutividade. O título, considerado o maior da área da saúde do Brasil, consolida e reconhece oficialmente a qualidade dos serviços prestados para a população do interior do Pará. No evento, colaboradores que se destacaram pelo trabalho realizado na unidade também foram reconhecidos pela diretoria da instituição. 
O analista de qualidade da ONA, e um dos seus fundadores, o médico Péricles da Cruz, foi quem entregou o certificado à instituição. “A história da ONA começou em 1999. A ideia era fazer com que houvesse um padrão comum a todo serviço brasileiro de saúde. Com os padrões definidos por um manual, todas as unidades podem ser avaliadas da mesma forma, sempre com foco na segurança do paciente e na qualidade do atendimento. Isso permite que os hospitais possam alcançar evolução. Foi o que aconteceu com o Hospital da Transamazônica, que em 2010 alcançou o nível 1. Em 2012, nível 2 e, recentemente, o nível 3”, explicou.
O secretário estadual de Saúde, Vitor Mateus, avaliou o momento como histórico. “Temos um hospital ONA 3, que não está na capital. Está na Transamazônica. Poucas pessoas apostavam no modelo da terceirização para um hospital 100% público. Hoje, está comprovado que o modelo deu certo. Há o reconhecimento de uma instituição séria como a ONA e, principalmente, da população”, discursou.
O diretor de Operações da Pró-Saúde, Jocelmo Pablo Mews, ressaltou que o hospital é feito por uma equipe que trabalha em prol da qualidade, da segurança e humanização. “São pouquíssimos hospitais no Brasil com esta certificação, somente 10 unidades de saúde públicas, uma deles, o Hospital da Transamazônica. Prezamos por um trabalho de qualidade e isso tem se transformado em resultados”, considerou.
O diretor Geral do Hospital Regional Público da Transamazônica, Edson Primo, falou sobre a importância da certificação para um hospital referência e com serviços únicos na região. “O ano de 2016 foi o coroamento de um processo prazeroso, o de atender o paciente com o máximo de segurança possível. Este processo faz com que o hospital seja seguro em todos os aspectos. Preparamos o hospital com todos os níveis de segurança em uma gestão única, sólida e consolidada”, disse.
A unidade de saúde atende alta e média complexidades, tendo serviços especializados, como Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal, UTI Infantil, possuindo serviço único de hemodiálise na região e realizando cirurgias de complexidade. Em 2015, mais de 300 mil atendimentos foram realizados, um acréscimo de 9% em relação ao ano de 2014. “Somando os atendimentos nestes 10 anos de Hospital, nós já atendemos a população de toda a região de quatro a cinco vezes. A nossa taxa de resolutividade é alta, assim como a pesquisa diária com todos os pacientes que nos trazem um índice de 99% de satisfação por parte do usuário”, ressaltou Edson Primo.
Uma das pacientes atendidas na unidade é Geizilane Machado, vítima de acidente de moto. “O atendimento é excelente, todos os profissionais são atenciosos, o que percebo na dedicação em dá o medicamento na hora certa. Este título nacional é merecido”, garantiu a usuária do Sistema Único de Saúde. 
A colaboradora Vera Lúcia estava emocionada. “É gratificante. Estou no HRPT desde o início, há quase 10 anos, e sempre visualizei que buscamos melhorias. Estou muito feliz e aqui aprendo diariamente, inclusive, com os usuários”. A técnica de enfermagem Alice do Socorro também falou sobre a gestão do hospital. “Particularmente, vejo esse certificado reverenciando o hospital como uma escola para os colaboradores. Aqui, você tralha de forma correta”.
O Hospital Regional Público da Transamazônica é administrado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Público e gratuito, a unidade é referência para aproximadamente 500 mil habitantes que fazem parte dos nove municípios da Região Integração do Xingu (Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Sen J Porfírio, Uruará, Vitória do Xingu). Por Renata Pantoja Assessoria de Comunicação.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

VIATURA DA POLICIA MILITAR DE URUARÁ CAIU NA PONTE DA PIMENTOLANDIA

Nessa tarde por volta das 17:30 uma viatura da policia Militar de Uruará em uma ronda pelo Bairro Pimentolandia acabou caindo na ponte que liga a  cidade ao Bairro.
A Viatura de prefixo 02 da sede da companhia de Uruará, encontrava se o Cb PM Campinas , Sd PM Fabricio augusto patrulheiro e o motorista Sd PM Pereira , todos estão bem
A viatura caiu da ponte, de aproximadamente 4 metros de altura , caindo dentro do rio que estava baixo onde ninguém ficou ferido no acidente.


Celpa inaugura novas subestações em Brasil Novo e Medicilândia


Empresa destaca que já investiu cerca de R$ 70 milhões em subestações e linhas de distribuição na região

Nesta quinta-feira, dia 09, a Celpa inaugurou uma nova subestação de energia no município de Medicilândia, no sudoeste do Estado. A conclusão da obra vai possibilitar quecerca de 10 mil
famílias, ou em torno de 50 mil pessoas, sejam beneficiadas com energia firme e de qualidade. Além de melhoria significativa na qualidade de vida dos moradores, a região poderá receber maiores investimentos de grandes empresas, o que pode gerar mais emprego e renda à população local.
Ainda este mês, a Celpa também entregará a nova subestação de Brasil Novo, município distante 40 quilômetros de Altamira. A obra foi possível graças a um investimento da concessionária na ordem de R$ 28 milhões. “Assim como em Medicilândia, Brasil Novo receberá maior potência de energia (6 MVA) e quatro novos alimentadores. Quando se investe em alimentadores (linhas de distribuição) é possível redividir melhor a carga, melhorando, portando, a distribuição de energia e a qualidade”, explica o diretor da área de distribuição da Celpa, Daniel Negreiros.
Há pelo menos dez anos que não eram inauguradas obras de grandes estruturas e voltadas a melhoria do fornecimento de energia elétrica em municípios como Altamira, Medicilândia, Anapú, Brasil Novo ou Uruará. Sob nova gestão, a Celpa energizou, em menos de três anos, cinco subestações – obras de grande porte que atendem muitas vezes mais de um município. Além disso, quatro das cinco subestações são totalmente novas. A única que não foi construída do zero foi a de Altamira, onde sua ampliação necessitou de investimento na ordem de R$ 12 milhões, no ano passado, e hoje está operando regularmente.
A Companhia ainda construiu 15 novos alimentadores de grande extensão na região – linhas de distribuição que servem para redistribuir os circuitos e as cargas, melhorando substancialmente o fornecimento e reduzindo oscilações de energia. As subestações de Altamira, Medicilândia, Anapu, Brasil Novo e Uruará, totalizaram R$ 70 milhões de reais em investimentos. 


quinta-feira, 9 de junho de 2016

ELEIÇÕES 2016 CHEGANDO E O DESESPERO COMEÇA

VEJA A LINDA MENSAGEM DO NOBRE VEREADOR GILMAR MILANSK PMDB, O PARTIDO QUE TEM MAIS CORRUPTO POR CENTÍMETROS QUADRADO. NÃO SEI SE É IRONIA, OU O MESMO TENTA MENTIR PARA ELE MESMO, OU SE FAZ PARTE DA POLITICA DE MENTIRAS QUE O MESMO TEM COMO PROFESSOR O DEPUTADO ERALDO PIMENTA
Veja o que diz o Vereador, em sua pagina da rede social, os pontos escritos em vermelho e Azul é destaque do Uruará em foco: Política Se Faz Com Responsabilidade! (2012 PREFEITO CALOTEIRO DE URUARÁ, AINDA NÃO PAGOU SEU FUNCIONARIOS).
Preocupante a situação política do nosso município, onde pessoas (digo pré-candidatos) que antes nem “bom dia” davam pra nosso povo e nem conheciam a rua do fundo da sua casa, agora agem como verdadeiros “atores” e posam de amigos e defensores da pátria, como verdadeiros salvadores - história já vista quatro anos atrás. (2012 Funcionários da prefeitura de Uruará alegam que estão sem receber salário desde outubro)
Brincam de fazer política e brincam com a cara do povo.
Uruará merece mais compromisso e mais responsabilidade. 
Não se admite mais brincadeiras e chances pra fazer testes do tipo: se der certo deu, se não der daqui quatro anos arrumamos outro ator e tentamos de novo. (LEMBRA DE 2012) QUANTA RESPONSABILIDADES EM!
É por causa desses testes fracassados que Uruará está como está.
Política tem que ser tratada com mais responsabilidade, com mais moralidade e com mais respeito para com o povo.(2012 Servidores de Uruará protestam por atraso no pagamento)
É por isso tudo e para recolocar Uruará nos trilhos do progresso que o PMDB mão brinca e não admite testes com a vida da nossa gente. (2012FUNCIONÁRIOS 4 MESES SEM SALÁRIOS)
Não discutimos nomes e nem pessoas. 
Discutimos e apresentamos propostas para que Uruará volte a crescer e nosso povo seja tratado com mais respeito. Pois ele merece.
O PMDB de Uruará - e partidos aliados, tem projetos e soluções para nosso Município. 
Para melhorar a qualidade de vida do nosso povo. (2012: SERVIDORES PUBLICO DE URUARÁ BLOQUEIA RODOVIA TRANSAMAZÔNICA)
Projetos esses e soluções personificados na pessoa do engenheiro agrônomo GILSON BRANDÃO - nosso pré-candidato à Prefeito de Uruará, um cidadão preparado e qualificado para administrar nosso Município, profundo conhecedor da realidade vivenciada por nosso povo e disposto a - junto com todos - buscar dias melhores para esse povo trabalhador e guerreiro.(  TÃO RESPONSAVEL QUE NÃO PAGOU NEM AS DIVIDAS DA ELEIÇÃO DE 2012)
Nossa realidade não permite mais errar, precisamos de coerência e responsabilidade na hora de escolhermos o melhor para Uruará.  (LINDO ISSO)
Precisamos do PMDB, o partido que mais fez por Uruará e conta com você para poder fazer muito mais. (PARA REFLETIR)

quarta-feira, 8 de junho de 2016

MARABÁ: Justiça acata pedido do MPPA e determina a indisponibilidade de bens de prefeito municipal

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio da 11ª Promotoria de Justiça de Marabá, teve pedido de Ação Civil Pública deferido pela Justiça Estadual no dia 3 de junho, em desfavor do prefeito municipal João Salame Neto, o secretário Municipal de Gestão Fazendária Ricardo de Almeida Rosa, Alexandre Lisboa dos Santos e a empresa Guimarães & Genu Advocacia Pública e Empresarial, pela prática de atos de improbidade administrativa.
A justiça determinou liminarmente a indisponibilidade dos bens dos réus, equivalente ao valor de R$ 237.765,43.

Entenda o caso

O referido escritório de advocacia foi contratado fora das hipóteses de inexigibilidade de licitação, como forma de terceirização da atividade de consultoria especializada, para auxiliar os trabalhos da Secretaria Municipal de Gestão Fazendária, da Prefeitura de Marabá.
Foi constatada na referida Secretaria a inexistência de procedimentos formais; decisões sem motivação; legislação inadequada; servidores sem conhecimento jurídico; deficiências estruturais no organograma da secretaria; ausência de registros de alguns atos administrativos da secretaria; dentre outros problemas.Texto: Letícia Miranda (graduanda em jornalismo)
Revisão: Edyr Falcão

terça-feira, 7 de junho de 2016

*****************************PARA REFLETIR**********************************

Você que ter uma vida com mais dignidade, com ruas asfaltadas, saneamento básico como água encanada e esgoto, saúde e educação de qualidade, lazer e muito mais? Vá embora de Uruará! Pois com esses pre-candidatos a vereadores e prefeito que temos isso não vai acontecer nunca. Pois aqui no município de Uruará a situação só vai melhorar quando um prefeito de vergonha na cara que não tenha vinculo com ex-prefeitos, não for patrocinado por ex-gestores, realizando Auditoria do Tribunal de ContasAuditoria Fiscal, audiências publicas mostrando para o povo a verdadeira tragedia que vive o município de Uruará. Portando se isso não acontecer os Uruaraenses contiaram mendigando e sendo humilhados, massacrado pelos políticos Uruaraenses. 


segunda-feira, 6 de junho de 2016

GUERREIRO ARTUR PASSA POR CIRURGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO MARCA-PASSO DIAFRAGMÁTICO

Após Cerca de 7 horas no centro cirúrgico o Guerreiro Artur retorna à UTI.
No ultimo sábado 04/06/2016, as 8:30 da manhã, o menino Artur segue para o Centro Cirúrgico do Hospital Regional de Altamira, conduzidos pelos médicos e enfermeiros.
O que era pra ser uma cirurgia com a qual está habituada, a equipe se depara com um problema, o nervo frênico, onde é colocado o marca-passo, não apresentou estímulo como esperado, a equipe decide então em fazer outro procedimento ainda inédito no Brasil, unir o nervo frênico ao nervo intercostal utilizando-se desse para dar vida ao frênico. Plano B, como declarou Dr. Rodrigo Sardenberg. Devido essa nova forma do implante o tempo necessário para cicatrizar e ligar o marca-passo será maior, de dois a três meses para então ligar o aparelho.
Depois de sofrer um acidente domestico Artur Von Groll Leverguini passou a respirar com a ajuda de aparelhos e para ajudar a respiração do paciente, a equipe médica indicou o implante de um marca-passo diafragmático que custa quase R$ 1.000.000,00 que foi costeado pelo estado. 
Após acidente entre a primeira e segunda vértebra, a criança perdeu os movimentos do corpo e a capacidade de respirar, ganhando a solidariedade de artistas e sociedade em geral, em uma mega campanha que ganhou o Brasil.
No inicio do mês de Abril, a Defensoria Pública Estadual ingressou com uma ação na Vara da Infância de Altamira para obrigar O Estado a custear a compra do aparelho, a cirurgia e todas as despesas pós-operatórias e de reabilitação de Artur. A juíza Carolina Cerqueira de Miranda Maia acolheu o pedido e concedeu a liminar
A família destaca seu agradecimento primeiro a Deus por permitir mais esse passo na recuperação do Artur, a todos os profissionais do Hospital Regional Público da Transamazônica, pelo profissionalismo e carinho, a equipe do Dr. Rodrigo Sardenberg e a você que se emocionou conosco, orou, e permanece firme ao nosso lado, Ademílson, Katiane e família.