quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Comunicado de prorrogação do prazo de exigência da LAR para imóveis rurais menos de 3 mil ha

O Ministério Público Federal, no uso de suas atribuições,considerando os avanços do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no Estado do Pará, que tem sido utilizado de forma eficiente para o monitoramento da regularidade ambiental dos imóveis rurais e controle do desmatamento; e
considerando que a capacidade institucional dos órgãos ambientais municipais para realizar o Licenciamento das Atividades Rurais está em fase de implementação, com a construção e instalação do sistema eletrônico de gestão municipal, que permitirá o acompanhamento permanente das licenças concedidas, bem como a capacitação dos técnicos municipais em meio ambiente;
Comunica aos signatários do Termo de Ajuste de Conduta da Pecuária e do Termo de Compromisso dos Municípios para o fim do desmatamento ilegal, a prorrogação do prazo de exigência da Licença Ambiental Rural (LAR) para os imóveis rurais com área menor que três mil hectares (3.000 ha), permanecendo plenamente em vigor os demais itens previstos nos acordos firmados.
Um novo prazo será fixado tão logo o sistema de gestão esteja implementado e as capacitações realizadas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e Programa Municípios Verdes.
Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Dejacir Ferreira, o monstro triplo-homicida de Itaituba esta atraz das grades

A Polícia Civil do Pará foi comunicada, nesta quarta-feira, 26, da prisão de Dejaci Ferreira de Souza, 44 anos, que está recolhido em um presídio no Estado de Goiás. Ele está com mandado de prisão decretado pela Justiça de Itaituba apontado como executor das mortes da advogada Leda Marta Lucyck dos Santos; da filha dela, Hannah Estela, 10 anos, e de Hellen Taynara Siqueira, 22, funcionária de Leda. Segundo informações recebidas pelo delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Rilmar Firmino, Dejaci Ferreira está há mais de 20 dias recolhido no presídio em Estrela do Norte, interior de Goiás, com o nome falso de Denilson Ferreira de Souza.
Ele foi preso nessa cidade goiana após ter cometido um homicídio e ter sido autuado em flagrante pelo crime. O nome falso foi descoberto depois que a Polícia Civil de Goiás concluiu a checagem dos dados apresentados pelo preso, já que o nome informado não coincidia com as informações existentes na identificação civil do Estado.
O delegado Silvio Birro, titular do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI), da região oeste do Pará, foi designado para se deslocar até Goiás, ainda esta semana, para tomar o depoimento do preso. Por enquanto, Dejaci vai permanecer preso em Goiás no aguardo de manifestação da Justiça sobre possível transferência dele para Itaituba, onde está indiciado em processo criminal pela autoria do triplo homicídio, em 22 de fevereiro do ano passado, no interior da loja Belíssima Moda Íntima, que era de propriedade da advogada.
MANDANTE advogado Altair dos Santos, ex-marido de Leda e pai de Hannah, está preso desde 25 de fevereiro do ano passado, acusado de ser o mandante do crime. As investigações apontaram que o crime foi passional, motivado pelo processo de separação do casal. Na época, os delegados envolvidos nas investigações concluíram que o casal estava divorciado, mas ainda não tinha sido feita a ação de partilha de bens, o que vinha sendo objeto de disputa entre as partes. Assim, o advogado teria contratado Dejaci para executar a ex-esposa. No dia do crime, ele aproveitou o momento em que as vítimas entravam na loja e as atacou a golpes de faca. PC-Pa

terça-feira, 25 de agosto de 2015

CONSORCIO TAPAJÓS É USADO COMO PALANQUE ELEITORAL

EM RESPEITO AOS CIDADÃES DE BEM.
ABERRAÇÃO: A secretária Executiva do Consórcio Tapajós, Denise Pimenta, esposa do ex-prefeito de Uruará e Deputado 
Pimenta recebeu na última sessão itinerante da ALEPA, realizada em Itaituba no dia 19, uma homenagem pelos relevantes serviços prestados a região da Transamazônica e BR 163. Mas que serviços mesmo?.
A secretária de fachada mulher do Deputado, vem usando a secretaria do Consorcio em palanque eleitoral, tentando se destacar em uma futura carreira politica, onde segundo informações e cogitado o nome da mesma para concorrer a prefeitura de Aveiro.Se o mal de família prevalecer, onde seu marido ex-prefeito de Uruará deu um dos maiores calete em seus funcionário em 2012, deixando 3 meses sem receber seus salários, onde também seu irmão ex-prefeito de Placas Maxweel Brandão, onde a MPF e Policia Federal esta sua cola. a Secretária ser por ventura for prefeita de algum município, poderá ainda ganhar do Atual Prefeito de Uruará Everton Moreira em péssima administração publica.
A homenagem é proposta àquelas personalidades que realmente se destacam e trabalham em prol do desenvolvimento do estado e suas respectivas regiões. RSRSRSRSRSRRSSRRSRSRSRSRSRRRS...

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Madeira Limpa: 21 são presos em 3 estados em operação para combater desmatamento ilegal

Entre os presos, servidores públicos das três esferas de governo e madeireiros, envolvidos em retirada de madeira de terras públicas
A Operação Madeira Limpa cumpriu hoje no Pará, Amazonas e Santa Catarina 21 mandados de prisão e 37 mandados de busca e apreensão contra uma quadrilha de comércio ilegal de madeira. A investigação é do Ministério Público Federal e da Polícia Federal e as prisões e buscas foram autorizadas pela Justiça Federal. Foram presos madeireiros e servidores públicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) e da Secretaria de Meio Ambiente do Município de Óbidos. 
Apenas dois mandados não foram cumpridos e dois madeireiros são considerados foragidos. Além das prisões, foram apreendidos carros de luxo, jet skis, documentos e computadores que serão analisados na continuidade das investigações. A quadrilha agia em núcleos coordenados: os que atuavam no Incra coagiam trabalhadores rurais a aceitarem a exploração ilegal de madeira dos assentamentos do oeste paraense em troca da manutenção de direitos básicos, como o acesso a créditos e a programas sociais. Os demais asseguravam as derrubadas ilegais e a circulação da madeira no mercado por meio de papéis esquentados.
O grupo é acusado de coação, receptação qualificada de madeira, subtração de bem público, corrupção passiva, corrupção ativa, organização criminosa, falsidade ideológica, estelionato, crimes ambientais. O prejuízo mínimo estimado ao patrimônio público é de R$ 31,5 milhões. Os servidores federais presos são Francisco Elias Cardoso do Ó, João Batista, José Maurício e Álvaro Pimentel, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente, em Belém e Adriano Minello e Luiz Bacelar Guerreiro Júnior, do Incra. Bacelar era o superintendente do órgão em Santarém e o MPF pediu o afastamento de todos os funcionários públicos envolvidos no esquema.
Crimes – Os investigados são suspeitos de formarem grupo organizado, estruturalmente definido e com divisão de tarefas, voltado à práticas dos crimes de corrupção ativa e passiva, associação criminosa, violação de sigilo funcional, falsidade ideológica, uso de documento falso, crimes contra a flora e crimes contra a administração ambiental.
Segundo as investigações do MPF, iniciadas em 2014, o grupo atuava em três frentes interligadas: um núcleo intermediador e empresarial, um núcleo operacional centralizado no Incra e um núcleo relacionado às fraudes em órgãos ambientais.
Enquanto o primeiro núcleo concentrava os negociantes de créditos florestais fictícios (esses negociantes são conhecidos como “papeleiros”) e empresas que recebiam a madeira extraída ilegalmente, o segundo núcleo atuava diretamente com o desmatamento, sob a permissão de servidores do Incra, e o terceiro núcleo era responsável pela mercantilização de informações privilegiadas sobre fiscalizações realizadas por órgãos ambientais e pela liberação irregular de empresas com pendências nessas instituições.
O MPF qualificou como “cruel” o modo de atuação do núcleo concentrado no Incra. “O grupo investigado transformou a SR30 (superintendência do Incra que abrange o oeste paraense) em um grande balcão de negócios, fazendo uso da instituição pública, e no exercício funcional, para viabilizar a extração ilegal de madeira em áreas de assentados. Muitas vezes, a prática criminosa é realizada sob submissão dos colonos à precária situação em que são colocados. Precisam barganhar direitos que lhes são devidos em troca da madeira clandestina”, registra petição do MPF à Justiça Federal.  Ministério Público Federal no Pará Assessoria de Comunicação

BRASÍLIA: CSP divulga conclusões de encontro do MP sobre crimes praticados por prefeitos

CSP divulga conclusões de encontro do MP sobre crimes praticados por prefeitos

Publicado em 20 Agosto 2015

O “I Encontro Nacional do Ministério Público para a Tutela Penal da Administração Municipal - Crimes praticados por Prefeitos”, realizado em Brasília/DF no dia 13 de agosto, reuniu 50 membros e servidores do MP Federal e Estadual. O evento, realizado pela Comissão do Sistema Prisional, Controle Externo da Atividade Policial e Segurança Pública do Conselho Nacional do Ministério Público (CSP/CNMP), teve como objetivo debater e orientar ações de procuradores e promotores que têm atribuição para a tutela penal dos crimes praticados por prefeitos.
Os presentes foram divididos em três grupos, que realizaram discussões e apresentaram suas conclusões ao final do encontro, na sala multiúso da Procuradoria-Geral da Justiça Militar. O evento se estendeu durante todo o dia e contou com a presença do conselheiro do CNMP Antônio Duarte.
Os temas de discussão foram os seguintes: Investigações criminais originárias instaurados contra agentes detentores de competência por prerrogativa de função e a posição do STF na Questão de Ordem em Petição nº 3.825-8/MT; Concurso de Pessoas nos crimes praticados por prefeitos; e Elemento subjetivo do tipo nos crimes previstos na Lei de Licitações – Lei nº 8.666/93.
Assessoria de Comunicação Social
Conselho Nacional do Ministério Público

Operação Madeira Limpa da PF prende, 10 suspeitos de participar de fraudes

De acordo com a Polícia Federal, os suspeitos fraudavam planos de manejo, que são documentos que informam quantas árvores existem em uma determinada área para ser explorada.
A Polícia Federal prendeu na manhã desta segunda-feira (24), 01 suspeito em Uruará e 9 pessoas na Região de Belém, suspeitas de participar de uma organização criminosa que atuaria no comércio ilegal de madeira em Belém e no interior do Pará. Entre os presos estão servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).
Segundo a PF, a atuação da quadrilha tem como característica a influência de servidores públicos federais, estaduais e até municipais mediante o pagamento de vantagens indevidas. A investigação durou cerca de 8 meses e investiga o envolvimento de empresários do setor madeireiro no esquema. A operação "Madeira Limpa" é realizada nas cidades de Belém, Santarém, Itaituba, Uruará, Alenquer, Monte Alegre e Óbidos, no Pará, além de Manaus, no Amazonas, e Florianópolis, em Santa Catarina.
Ainda de acordo com a Polícia Federal, os suspeitos fraudavam planos de manejo, que são documentos que informam quantas árvores existem em uma determinada área para ser explorada, aprovados pelos órgãos ambientais. Os envolvidos declaravam uma quantidade bem maior de árvores e negociavam o excedente fictício no mercado,ou seja, usavam uma documentação oficial para "esquentar" a madeira, acobertando a venda de madeira ilegal retirada de áreas protegidas no Pará.  Ainda hoje resumo completo da Operação, madeira Limpa

Operação combate comércio ilegal de madeira em Uruará e em todo o estado do Pará

Objetivo é desarticular organização criminosa que atua em Uruará e em todo o estado.
Servidores públicos são investigados por participação no esquema.Operação prende quadrilha de comércio ilegal de madeira no PA 
Assentados tinham que aceitar irregularidades para ter programas sociais.
Foram cumpridas prisões nas esferas municipal, estadual e federal
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (24) a operação “Madeira Limpa” para desmontar uma quadrilha de comércio ilegal de madeira em vários municípios do Pará, emManaus (AM) e Florianópolis (SC). De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o grupo é acusado de coagir trabalhadores rurais a aceitarem a exploração ilegal de madeira dos assentamentos do oeste paraense em troca da manutenção de direitos básicos, como o acesso a créditos e a programas sociais. O prejuízo mínimo estimado ao patrimônio público é de R$ 31,5 milhões.
De acordo com a Polícia Federal em Santarém, no oeste do Pará, são 22 mandados de prisão, um mandado de prisão temporária, 41 de busca e apreensão e 10 de condução coercitiva. No total, são 33 suspeitos de integrar a quadrilha, incluindo servidores públicos federais e do estado do Pará.
Há mandados de prisão contra servidores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), incluindo o superintendente Luiz Bacelar Guerreiro Júnior. O G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação do Incra em Brasília e aguarda resposta.
Ainda de acordo com o MPF, no Pará, os mandados são cumpridos em Santarém, Alenquer,Óbidos, Oriximiná, Monte Alegre, e Uruará, no oeste do estado, além de Belém e Ananindeua, na região metropolitana, e em Castanhal, no nordeste paraense.
Investigações
Os mandados de prisão, busca e apreensão foram acatados pela Justiça Federal, após pedido do MPF que constatou nas investigações que os servidores públicos municipais, estaduais e federais são suspeitos de formarem um grupo organizado que cometeram crimes de corrupção ativa e passiva, associação criminosa, violação de sigilo funcional, falsidade ideológica, uso de documento falso, crimes contra a flora e crimes contra a administração ambiental.
As investigações começaram em 2014, e constatou que o grupo atuava com um núcleo intermediador e empresarial, um núcleo operacional centralizado no Incra e um núcleo relacionado às fraudes em órgãos ambientais. De acordo com o MPF, o primeiro núcleo concentrava os negociantes de créditos florestais fictícios e empresas que recebiam madeira ilegal, o segundo atuava no desmatamento, sob a permissão de servidores do Incra, e o terceiro era responsável pela mercantilização de informações privilegiadas sobre fiscalizações realizadas por órgãos ambientais e pela liberação irregular de empresas com pendências nessas instituições.
“O grupo investigado transformou a superintendência do Incra que abrange o oeste paraense em um grande balcão de negócios, fazendo uso da instituição pública, e no exercício funcional, para viabilizar a extração ilegal de madeira em áreas de assentados. Muitas vezes, a prática criminosa é realizada sob submissão dos colonos à precária situação em que são colocados. Precisam barganhar direitos que lhes são devidos em troca da madeira clandestina”, registra petição do MPF à Justiça Federal. G1-Pa

domingo, 23 de agosto de 2015

ASSASSINATO DE HOMEM EM URUARÁ DESVENDA QUADRILHA DE FRAUDADORES EM EXPLORAÇÃO DE MADEIRAS.

Senha do superintendente do Ibama foi usada em fraudes, afirma polícia
Doze pessoas foram presas suspeitas de fazer parte do esquema. 
A polícia estima que a quadrilha tenha faturado R$ 11 milhões. 
As prisões foram nos estados do Pará, Alagoas e Maranhão. No Pará, documentos e computadores foram apreendidos em condomínios de luxo na capital paraense. Um empresário foi preso no bairro Batista Campos e outro no bairro do Bengui. Os mandados foram cumpridos durante a madrugada e três pessoas continuam foragidas.
Os presos são suspeitos de ter invadido o sistema de comercialização e transporte de produtos florestais da secretaria de meio ambiente, o Sisflora. O objetivo era a venda de crédito de exploração de madeira que só poderiam ser conquistados com a apresentação e aprovação de um plano de manejo, um documento técnico que detalha a utilização dos recursos naturais.
O esquema começou a ser desvendado depois que um dos integrantes foi assassinado em Uruará, no dia 27 de Fevereiro de 2015 por volta das 15 horas, foi alvejado com 3 tiros na cabeça, a vitima, Ananias Alex Silva Dos Santos, morador do Município de Tailândia no Para, que
estava em Uruará a uns dias, também já trabalhava no ramo madeireiro. Segundo informações os pistoleiros chegaram em uma motocicleta BROSS vermelha, onde 01 desceu da moto e efetuou 5 tiros acertando 3 na vitima que morreu no local do crime.
No celular da vitima a polícia encontrou mensagens que entregavam a fraude. A polícia estima que a quadrilha tenha faturado R$ 11 milhões. A partir de segunda-feira (24), haverá o interrogatório das pessoas envolvidas. "A gente vai então, com a documentação apreendida, analisar e com certeza deflagrar uma segunda fase", afirmou a delegada Juliana Cavalcante.


sábado, 22 de agosto de 2015

Operação Amazônia Legal prende 12 pessoas acusadas de fraudar sistemas de créditos florestais

EM URUARÁ 02 SÃO PRESOS  ENVOLVIDOS NO ESQUEMA
A Polícia Civil e a SEMAS (Secretaria de Estado de Meio-Ambiente e Sustentabilidade) deslancharam, neste sábado, 22, a operação “Amazônia Legal”, que visa desarticular um esquema de
Presos  Elton e Eudemberto
fraudes na compra e venda de créditos florestais de empresas cadastradas no Sisflora.
– Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e no Sisdof (Sistema de Controle Florestal) do Ibama. Ao todo, 12 pessoas foram presas, nas cidades de Belém, Santarém, Redenção, Tucuruí, Uruará e Novo Progresso, no Pará; Maceió em Alagoas e Itinga no Maranhão. Além dos mandados de prisão preventiva, a Justiça expediu mandados de busca e apreensão em domicílios nessas cidades.
As informações sobre os resultados da operação foram apresentados em coletiva de imprensa, às 10
horas na Delegacia-Geral, em Belém. Estiveram presentes o delegado-geral, Rilmar Firmino; o secretário de Estado de Meio-Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Luiz Fernandes Rocha, e a delegada Juliana Cavalcante, da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA), responsável pela investigação. Ela conta que o trabalho investigativo teve início após o homicídio de Ananias Alex Silva dos Santos, na cidade de Uruará, em 27 de fevereiro deste ano, por volta de 15h30.A vítima era um empresário do ramo madeireiro e atuava como “papeleiro”, responsável em realizar transações ilegais com diversos outros “papeleiros” que também vendiam créditos para “esquentar” madeira obtida de áreas que não podem ser defloradas. Foram presos Itamar Gomes de Vasconcelos, em Maceió; Paulo Sérgio da Silva, de apelido “Paçoca”, em Redenção; Willian Augusto Ribeiro de Andrade, em Tucuruí; Almir de Sousa Gomes, em Itinga (MA); Wellington de Oliveira Silva, em Itinga (MA); Marcello Gomes Tartaglia, em Tucuruí; Enio Jouguet Barbosa, em Belém; Charles Andrey Mezetti, de apelido “Cabeção”, em Santarém; César de Paula Cordeiro, de apelido “Koko”, em Novo Progresso; Sidnei Gomes, de apelido “Animal”, em Belém; Eudemberto Sampaio de Souza, de apelido “Beto”, em Uruará, e Elton Junior Santos de Castro, em Uruará. Estão foragidos Dionízio Pereira Filho Viana e Josiel Borgui Paulo.
Com a apreensão do aparelho telefônico de Ananias, foi possível identificar que a vítima agia para identificar empresas bloqueadas no Sisdof (Sistema de Documento Florestal) administrado pelo Ibama e no Sisflora, administrado pela Semas, com grande volume de créditos florestais disponíveis. As investigações mostravam que Alex providenciava o desbloqueio das empresas de forma fraudulenta através de Josiel Borghi Paulo, morador em Goianésia do Pará. As investigações mostram que Josiel foi o responsável em contratar um “cracker” para invadir e clonar as senhas de superintendentes regionais do Ibama em Belém e em Marabá, e outro no Rio Grande do Sul. Segundo a delegada Juliana, com as senhas “raqueadas”, foi possível o desbloqueio de empresas para acesso aos sistemas. Ananias Alex tinha como sócios, nas madeireiras desbloqueadas, Elton Junior e Dionízio Pereira Filho Viana, de Tailândia. Tanto Elton quanto Dionizio atuavam na venda de créditos para outras empresas que necessitavam de guias florestais para acobertam madeira extraída de locais proibidos por lei. As investigações mostraram ainda que a associação criminosa é formada por Ananias e os demais acusados, além de outros até o momento não identificados. Após o desbloqueio das empresas, a organização criminosa, cada qual através de sua respectiva empresa madeireira, vendeu créditos para diversas empresas, tendo sido possível identificar apenas alguns dos compradores.
Ao todo, foram 23 empresas desbloqueadas acarretando a movimentação ilegal de 28.365,06 metros cúbicos e um total de R$ 10.736.715,66. A organização criminosa investigada possui atuação inclusive no Estado do Mato Grosso, Maranhão e Alagoas, cujos integrantes estão estruturados ordenadamente, voltados à prática do crime de estelionato, falsidade ideológica, uso de documento falso, lavagem de dinheiro, transporte ilegal de madeira, associação criminosa, entre outros crimes. As investigações prosseguem para chegar aos demais envolvidos no esquema criminoso. Com Informações PC-Pa

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

URUARAENSES VÃO PRA RUA PEDIR MELHORIAS PARA O MUNICÍPIO.

No inicio dessa manha de Sexta Feira centena de Uruaraenses foram as ruas da cidade, mostrando sua insatisfação com a atual administração. Segundo a Organização da passeata foi calculado cerca de 4 a 5 mil pessoas manifestando que não esta feliz com a situação do município.
A população se concentrou em frente a Câmara de Vereadores. onde por volta das 9:30 o movimento 
deu inicio e os manifestantes percorreram as rua do centro da Cidade com destino ao Fórum de Uruará, onde um Documento contendo as reivindicações da população foi protocolado na Promotoria publica, mesmo com a ausência do Promotor Ariel José Guimarães Nascimento, mas segundo informações o representante do MP deixou claro sua preocupação e declarou que a partir de segunda feira estará na comarca da cidade e esta pronto para receber os representantes do movimento, onde o documento também foi encaminhado para câmara de Vereadores.
Diante de uma manifestação pacifica e com
muita ordem milhares de Uruaraenses saíram às ruas da cidade, Por Um Uruará Melhor, onde cerca de 80% dos comerciantes fecharam as portas apoiando o movimento.




quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Câmara aprova em 2º turno redução da maioridade penal para 16 anos

Redução só vale para crime hediondo, homicídio doloso e lesão com morte.

Proposta agora segue para o Senado, onde passará por duas votações.

Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (19) em segundo turno, por 320 votos a favor, 152 contra e 1 abstenção, a proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz maioridade idade penal de 18 para 16 anos no caso de crimes de homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte e crimes hediondos, como o estupro. O texto segue agora para o Senado, onde precisará passar por duas votações para ser promulgado. A matéria foi aprovada em primeiro turno no início de julho, com 323 votos favoráveis e 155 contra, sob protestos de deputados contrários à mudança constitucional. Um texto um pouco mais abrangente havia sido rejeitado pelo plenário na véspera, mas após uma manobra regimental, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), colocou o tema novamente em votação e o texto acabou passando.



quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Operação da PF em Placas respinga na pré-candidata a prefeita do PSDB

Um dia antes – no último domingo, 2, – de sua residência ser alvo de busca e apreensão por agentes
da Polícia Federal  o ex-prefeito de Placas Maxweel Brandão, o Negão Brandão, realizou uma graúda festa regada a uísque 12 anos, para integrantes de seu grupo político, de lançamento da pré-candidatura a prefeita de Raquel Brandão (PSDB), sua esposa.
A dupla 171 Negão & Pimenta.
A tucana já contaria, inclusive, com apoio do deputado estadual Eraldo Pimenta. Negão Brandão e o parlamentar peemedebista são concunhados. Na segunda-feira pela manhã (dia 3), o ex-gestor
foi surpreendido com a operação da PF – consequência do sumiço que ele deu nos documentos de uma licitação supostamente fraudulenta no valor de R$ 281 mil, recursos federais repassados ao município.
Além de estragos enormes na reputação do ex-prefeito, a ação da PF provocou danos pesados na candidatura que Eraldo e Negão Brandão planejam para Raquel em 2016. Blog  do Jeso


terça-feira, 18 de agosto de 2015

Pará manifesta total apoio à campanha Dez Medidas Contra a Corrupção

Organizações sociais e instituições públicas já coletam assinaturas para projeto de lei
Representantes de organizações sociais, como sindicatos, organizações não governamentais e associações classistas, e integrantes de órgãos públicos de Belém e interior do Estado manifestaram total apoio à campanha Dez Medidas Contra a Corrupção (www.dezmedidas.mpf.mp.br), que teve lançamento oficial no Pará nesta terça-feira, 18 de agosto.
“É o que a população espera, é um exemplo de cidadania”, disse o presidente do Grupo em Defesa do Marajó, Theo Azevedo, sobre as medidas propostas. Azevedo destaca que a corrupção é um dos fatores mais importantes para que o arquipélago do Marajó esteja hoje entre as regiões do país com piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH). “Chegamos no limite do limite. Em uma região com tanto potencial, principalmente para o turismo, os investimentos não chegam, e a população clama por saúde, educação e segurança”.
Para a representante do Observatório Social de Belém, Belina Soares, as propostas de alterações legislativas têm tanta qualidade que praticamente “é um dever dos cidadãos apoiá-las”, enfatizou. Segundo ela, ainda esta semana a equipe do Observatório Social de Belém vai reunir-se para traçar as estratégias de coleta de assinaturas.
A Associação dos Profissionais da Contabilidade Aplicada ao Setor Público do Estado do Pará (Apcasp) também vai priorizar a coleta de assinaturas entre as iniciativas a serem tomadas pela associação ainda esta semana. “Essa campanha é uma forma de a sociedade conseguir informações, poder ter um direcionamento para suas mobilizações. Só temos o que comemorar”, disse a presidente da Apcasp, Leila Márcia Elias.
Parceria – A importância da parceria entre as entidades apoiadoras da campanha e a sociedade foram destaques nos pronunciamentos do Procurador-Geral de Justiça do Estado do Pará, Marcos Antônio Ferreira das Neves, e do Procurador-Chefe do Ministério Público Federal (MPF) no Pará, Daniel Azeredo, durante a cerimônia de lançamento da campanha, realizada na sede do Ministério Público do Estado, em Belém.
“O Ministério Público brasileiro tem um forte compromisso no combate à corrupção, que pode ser visto em operações recentes como a Lava Jato e, no Pará, a Filisteu e a Querida Saúde, mas sozinhos não podemos fazer todas as mudanças. O nosso desafio é conclamar a sociedade a participar desse projeto”, observou Neves. “Onde houver uma unidade do Ministério Público vai haver um ponto de coleta de assinaturas”, anunciou.
O Procurador-Chefe do MPF, Daniel Azeredo, destacou que qualquer sociedade é passível de ser prejudicada pela corrupção, mas que o problema é recorrente onde a impunidade predomina. As dez medidas propostas, segundo Azeredo, são uma forma de consolidar o desejo da sociedade por melhorias para um objetivo concreto e verdadeiro. “Vamos catalisar essa vontade de mudança fazendo do Pará um grande contribuidor para a coleta de assinaturas necessárias para a proposição do projeto de lei”, convidou.
Entre as instituições públicas que endossaram em Belém a campanha lançada pelo MP/PA e pelo MPF estão a Controladoria-Geral da União, o Ministério Público de Contas do Estado e o Ministério Público do Trabalho. Também já confirmaram participação na campanha 21 representantes de escolas e unidades gestoras de ensino, com um total de 30,7 mil alunos a serem envolvidos na iniciativa.
No oeste do Estado, onde a campanha também foi lançada esta semana, a iniciativa já tem o apoio da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), do juiz diretor do Fórum da comarca de Santarém e da Vara da Infância e Juventude, da Polícia Rodoviária Federal, Maçonaria, São Raimundo Esporte Clube, igrejas evangélicas da Restauração e Universal, Movimento Vem pra Rua, sindicato dos professores municipais, Justiça Federal e Defensoria Pública da União.
Metas - A campanha visa coletar 1,5 milhão de assinaturas em todo o país para a proposição de projeto de lei de iniciativa popular que objetiva evitar o desvio de recursos públicos e garantir mais transparência, celeridade e eficiência ao trabalho do Ministério Público brasileiro com reflexo no Poder Judiciário.
Entre os resultados buscados estão a agilização da tramitação das ações de improbidade administrativa e das ações criminais, a instituição do teste de integridade para agentes públicos, a criminalização do enriquecimento ilícito, o aumento das penas para corrupção de altos valores, a responsabilização de partidos políticos e criminalização da prática do caixa 2, a revisão do sistema recursal e das hipóteses de cabimento de habeas corpus, a alteração do sistema de prescrição e a instituição de outras ferramentas para recuperação do dinheiro desviado.
Mais informações e modelo de ficha de apoiamento para envio de assinaturas: www.dezmedidas.mpf.mp.br.

Prefeitura-Polícia Federal prende suspeitos de fraude em Parauapebas

Todos os acusados foram encaminhados para Marabá
A Polícia Federal prendeu seis pessoas suspeitas de fazer parte de um esquema de fraudes na Secretaria de Educação do Município de Parauapebas, sudeste paraense, na manhã desta terça-feira (18).
Segundo as investigações, as fraudes podem ultrapassar R$ 7 milhões. A secretária municipal de educação está entre os presos. Todos os acusados foram encaminhados para o município de Marabá.
Por: Redação ORM News

PASSEATA POR UM URUARÁ MELHOR GANHARÁ AS RUAS DA CIDADE NA SEXTA-FEIRA 21

Organizada pela ACIAU (Associação Comercial Industrial e Agro Pastoril de Uruará) e CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) a Passeata Por Um Uruará Melhor ganhará as ruas da cidade na sexta-feira, dia 21 de agosto, quando o movimento estará reivindicando segurança, transparência, efetividade na aplicação dos recursos, e compromisso com o povo Uruaraense, requerendo apoio e atuação efetiva das autoridades competentes em prol de mudanças urgentes no município de Uruará em tudo que se refere à qualidade de vida e direitos constitucionais dos cidadãos do município.
Segundo a organização a concentração do movimento ocorrerá em frente a Câmara de Vereadores a partir das 9 horas da manhã, passando pelas ruas do comércio, com encerramento no Fórum de Uruará.

Governo autoriza atuação da Força Nacional em Altamira, no Pará

Os homens vão atuar para garantir a segurança das pessoas, do patrimônio e a ordem pública
O Ministério da Justiça autorizou a atuação da Força Nacional de Segurança Pública em Altamira, no Pará, em apoio ao Departamento de Polícia Federal. Os homens vão atuar para garantir a segurança das pessoas, do patrimônio e a ordem pública na região onde servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai) fazem trabalhos de levantamento fundiário.
A autorização está em portaria publicada na edição desta terça-feira (18), do Diário Oficial da União e prevê a atuação da Força Nacional na região pelo período de um mês. O texto diz que o prazo de permanência pode ser prorrogado, se necessário.


segunda-feira, 17 de agosto de 2015

PMDB de Rurópolis elege aliado de Antônio Rocha para presidente

Denival Aleixo é o novo presidente do PMDB de Rurópolis.
Ele foi eleito ontem (16), desta vez não mais nº 1 da comissão provisória do partido, mas do diretório municipal, com mandato de 2 anos (2015-2017).
No Leia Mais, abaixo, confira o nome dos integrantes da chapa única eleita.
Denival é ligado ao grupo do ex-deputado estadual Antônio Rocha (PMDB). Ao Blog do Jeso, ele declarou que o partido deve lançar candidatura própria à Prefeitura de Rurópolis em 2016.
A vitória de Denival significa a derrota do deputado estadual Eraldo Pimenta, que no mês passado tentou emplacar na direção do PMDB a família do prefeito atual Pablo Genuíno (PSDB).
Comissão Executiva do PMDB/Rurópolis
Presidente: Denival Aleixo
1º vice-presidente: Henrique Pereira Filho
2º vice-presidente: José Edimar Farias
Secretário-geral; Mansuete Silva
Secretário-adjunto: Ionete Moreira
Tesoureiro: Reginaldo Cruz
1º vogal: Pedro Oliveira
2º vogal: Joab Conoff Silva
Líder da bancada na Câmara: Luiz Medeiros dos Santos

SERVIDORES DO HOSPITAL MUNICIPAL ENTRA EM GREVE EM URUARÁ

Diante da situação deplorável e caótica da administração municipal de Uruará o que esta ruim ainda poderá ficar pior.
Na manha dessa segunda feira os servidores da área da Saúde de Uruará entraram em greve, atrasos salariais; falta de pagamento do 13º dos servidores contratados da Saúde, referentes ao ano de 2014; falta de condições básicas de trabalho aos servidores; entre outros problemas enfrentados pela categoria.
No Hospital Municipal de Uruará, somente atendimento de extrema urgência são atendido onde ate mesmo os matéria de primeiro socorros esta em falta na emergência do Hospital. Só pra se ter uma ideia do tamanho da gravidade que se encontra o Hospital Municipal de Uruará, nessa tarde por volta das 14 horas um cidadão de Uruará se acidentou e veio a quebrar a perna, por incrível a esposa teve que comprar em uma farmácia geso e faixa para poder imobilizar a perna da vitima.

JOVEM DE 24 ANOS TEM SUA VIDA CEIFADA EM ACIDENTE NA TRANSAMAZÔNICA NA NOITE DESSE DOMINGO.

POEIRA E ALTA VELOCIDADE PODE SER A CAUSA DE MAIS UMA MORTE NA TRANSAMAZÔNICA.
O Jovem Lucas de Souza Ribeiro, 24 anos, morreu na noite desse Domingo por volta das 22 horas na rodovia Transamazônica próximo o Km 170. Segundo informações policiais a vitima transitiva na rodovia Transamazônica quando se chocou em uma camioneta que ia no sentido Altamira, onde o Jovem teve fraturas exposta na perna, quebrando o pescoço tendo morte no local do acidente.
A camionete que era dirigida por uma Professora que mora em Altamira ficou em estado de choque e precisou ser medicada, o Delegado devera ouvir a mesma ainda no dia dessa Segunda Feira.
Os investigadores de policia Civil Tadeu, Eládio e Ivan jundo com a policia Militar estiveram no Local do acontecido. A vitima Lucas morava no Travessão Km 170 Norte, onde seu corpo esta sendo Velado.

domingo, 16 de agosto de 2015

POEIRA DEIXA A POPULAÇÃO URUARAENSE IRRITADA

Depois de muitas reclamações sobre a situação precária que se encontra a ruas da cidade de Uruará, a secretaria de viação e obras resolveu colocar umas maquinas nas ruas. diante de um trabalho de raspagem e limpezas das ruas, a situação ainda fica pior diante da poeira que com a raspagem a terra fica mais solta e como não esta havendo um carro pipa para da suporte, jogando uma água para minimizar a poeira a coisa esta ficando critica. Lamentável ver o povo de Uruará ser maltratado, onde em promessas de campanha, Uruará seria asfaltado ate o segundo ano! Então nada mais justo ao menos ser usado carros pipas para minimizar a poeira. Mas ta tudo bem! Pois o povo para os políticos só presta para 02 coisas, uma vota e a outra toma no...

sábado, 15 de agosto de 2015

Altamira: Cinco elementos são mortos em confronto com a polícia

Assaltantes que tocavam terror na região foram despachados para o inferno em Altamira
Seis homens invadiram uma ótica no município de Altamira, região sudeste do Pará na tarde de sexta-feira (14), e roubaram R$ 70 mil.
Durante a tentativa de fuga, três assaltantes foram mortos pelo Grupo Tático Operacional (GTO) da Polícia Militar e os outros três conseguiram fugir com o dinheiro.
Segundo denúncia anônima, ainda na sexta-feira, a polícia conseguiu localizar o bando em uma festa no bairro São Domingos, em Altamira, e durante a abordagem mais dois foram mortos. O terceiro não resistiu à prisão e foi levado para a delegacia da cidade. Segundo a polícia todos do grupo já tinham passagem pela polícia.O delegado de Polícia Civil, Vinícius Dias também esteve à frente da operação. Com os elementos a polícia encontrou armas, munições, drogas e relógios.
Os corpos dos criminosos foram recolhidos pelo Instituto Médico Legal (IML).




EMPRESARIO URUARAENSE É DESTAQUE NA REGIÃO DA TRANSAMAZÔNICA EM SOFTWARES PARA AUTOMAÇÃO COMERCIAL

O Empresario Uruaraense Antonio Mauro Alves da Silva de 31 anos, proprietário da Empresa M@uro Sistema, vem atuando no segmento da informatica desde do ano de 2000 em Uruará (PA)
Com atuação nas cidades de Altamira, Brasil Novo, Medicilândia, Placas, Ruropolis e Santarém. 
A empresa conta com uma equipe de profissionais altamente especializados na área de trabalho, onde se destaca na especialização de softwares, para a automação comercial e certificação digital, produtos, suprimentos e serviços. A empresa oferece,Análise de Sistemas, Programação, Banco de Dados, Controle de Qualidade, Certificação Digital e Suporte em TI. O empresario está a todo momento procurando conhecer melhor as particularidades de cada mercado em que atua, a fim de aprimorar 
e otimizar cada vez mais a sua capacidade de implementar soluções práticas, seguras e completas para os seus clientes. Pelo fato de ser numa empresa jovem e dinâmica permanentemente sempre esta renovamos incorporando seus produtos e serviços para que seus clientes sigam escolhendo no dia-a-dia A diversidade de serviços que a empresa oferece aos seu clientes da uma grande experiência na área de automação comercial, nos adaptando a qualquer tipo de estabelecimento destaca o empresario Mauro. 
A empresa desenvolve softwares, para a automação comercial no segmentos, Lojas varejistas, Supermercados, Distribuidoras e Atacadistas, Boutiques, Lojas de confecções. Moda e Beleza. Gastronomia, Bares,Restaurantes. Farmácias e Drogarias.Postos de Combustíveis e Lojas de conveniência, Autopeças, Oficinas, Retíficas, Materiais de construção, Móveis e Eletrodomésticos e muitos outros. O compromisso da empresa e atende às necessidades específicas de cada negócio assim como acompanhamos o crescimento das empresas da região.

Ministério Público convida paraenses a apoiarem medidas contra a corrupção e a impunidade dos corruptos

Lançamento de campanha será nesta terça-feira, 18 de agosto
O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MP/PA) vão lançar em Belém a edição paraense de uma campanha nacional com propostas de mudanças legislativas para melhorar a prevenção e o combate à corrupção e à impunidade. O lançamento será na próxima terça-feira, 18 de agosto, às 10 horas, no auditório da sede do MP/PA, na Cidade Velha.
Batizada de Dez Medidas Contra a Corrupção, a campanha busca coletar 1,5 milhão de assinaturas em todo o país para que as propostas de alterações legislativas cheguem ao Congresso Nacional por meio de um projeto de lei de iniciativa popular.
Estão sendo convidados para o lançamento da campanha representantes de organizações sociais, como associações de classe, instituições religiosas, conselhos, sindicatos, e diretórios acadêmicos, e representantes de órgãos de controle e fiscalização dos recursos públicos.
Além do convite à participação dessas organizações e da sociedade em geral no lançamento e na execução da campanha, o Ministério Público fez convites a escolas públicas e particulares da região metropolitana de Belém a mobilizarem seus estudantes. Já confirmaram participação 21 representantes de escolas e unidades gestoras de ensino, com um total de 30,7 mil alunos a serem envolvidos na iniciativa.
Sobre as propostas - As propostas de alterações legislativas visam evitar o desvio de recursos públicos e garantir mais transparência, celeridade e eficiência ao trabalho do Ministério Público brasileiro com reflexo no Poder Judiciário. A íntegra das medidas e a ficha de assinatura estão disponíveis no site www.10medidas.mpf.mp.br.
Entre os resultados buscados estão a agilização da tramitação das ações de improbidade administrativa e das ações criminais, a instituição do teste de integridade para agentes públicos, a criminalização do enriquecimento ilícito, o aumento das penas para corrupção de altos valores, a responsabilização de partidos políticos e criminalização da prática do caixa 2, a revisão do sistema recursal e das hipóteses de cabimento de habeas corpus, a alteração do sistema de prescrição e a instituição de outras ferramentas para recuperação do dinheiro desviado.
As propostas foram elaboradas pelo MPF a partir da experiência de atuação da instituição e de trabalhos recentes, como a Operação Lava Jato. O lançamento nacional das propostas foi feito em março deste ano pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pelos coordenadores da Câmara de Combate à Corrupção do MPF, Nicolao Dino, da Câmara Criminal do MPF, José Bonifácio Andrada, e pelo coordenador da Força-Tarefa Lava Jato do MPF no Paraná, Deltan Dallagnol. MPF

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

CRISE ECONÔMICA CHEGA AO SETOR CACAUEIRO E AFETA COMPRA DE CACAU NO MUNICÍPIO DE URUARÁ

Crise financeira afeta os compradores de cacau da região. Segundo informou os cerealistas em Uruará, ninguém está comprando mais o cacau.Jacy Vargas, que trabalha com cerealista, disse que tem muita produção de cacau na região, mas a crise afetou mercado. “Produziu muito na região, mas
não temos verba para pagar o produtor e com as agências financeiras fechadas (Banco do Brasil e Amazônia), a situação fica mais difícil. A verdade é que não temos mais como comprar o cacau”, disse.
Jonildo Fialho, também do ramo de cerealistas em Uruará, disse que as empresas que compram cacau da região superlotou. Ninguém mais quer comprar. “O prejuízo é grande. As empresas Cargill e Barry Callebaut, passa até 10 dias com os caminhões para descarregar. Eles não estão mais recebendo mais o cacau. A produção aumentou, mas ninguém compra”, disse.
Os produtores de cacau não sabem como vai fazer para vender o cacau, como é o caso do agricultor Francisco José de Araújo, que trabalha na vicinal do km 175 sul. “Está difícil para vender o cacau. Estamos esperando mais de 15 dias para poder vender às cerealistas em Uruará. Ninguém quer comprar. A situação está triste. Não estamos conseguindo vender. Não sabemos o que fazer”, disse o produtor. Por Cirineu Santos

BRASÍLIA: Evento que debate crimes praticados por prefeitos ocorre na próxima quinta (13)

Evento que debate crimes praticados por prefeitos ocorre na próxima quinta (13) Publicado em 10 Agosto 2015
A Comissão do Sistema Prisional, Controle Externo da Atividade Policial e Segurança Pública do Conselho Nacional do Ministério Público (CSP/CNMP) realiza na próxima quinta-feira, 13 de agosto, o “I Encontro Nacional do Ministério Público para a Tutela Penal da Administração Municipal Crimes praticados por Prefeitos”. O evento ocorre na sala multiúso da Procuradoria-Geral da Justiça Militar, em Brasília/DF.
O encontro, voltado para membros do Ministério Público Federal e Estadual, tem como objetivo debater e orientar ações de procuradores e promotores que têm atribuição para a tutela penal dos crimes praticados por prefeitos.
A programação do evento se estenderá durante todo o dia. Entre as atividades propostas, está a palestra “Aspectos penais e processuais penais nos crimes praticados por Prefeitos”, ministrada pelo subprocurador de Gestão do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP) e doutor em Direito Penal Antonio Carlos da Ponte. MP-PA

terça-feira, 11 de agosto de 2015

OPERÁRIO DE SERRARIA SOFRE ACIDENTE GRAVE DE TRABALHO EM URUARA

Um trabalhador de uma serraria localizada no município de Uruará, sofreu um acidente grave de trabalho nessa tarde de Terça Feira por volta da 14 horas. O Trabalhador de 35 anos teve sua barriga atravessado por um
pedaço de madeira que teve que ser cortada as pontas com um motosserra para realizar o socorro. A vitima foi encaminhado de Helicóptero para o hospital regional da Transamazônica, para a retirada do pedaço de madeira que esta atravessado na barriga da vitima.